O ano de 2020 certamente foi um ano que revolucionou a dinâmica do mercado. Muitas empresas precisaram se reinventar para resistir à recessão gerada pela pandemia da  COVID-19. Diante disso, o momento é muito oportuno para abordar o desenvolvimento organizacional.

Neste artigo, vamos explicar o que ele significa, quais são seus objetivos, além de como implementá-lo e medi-lo.

Bom, se você deseja alcançar melhores resultados com a sua empresa em 2021, não deixe de ler este guia aprofundado sobre desenvolvimento organizacional. Tenha uma ótima leitura!

O que é desenvolvimento organizacional?

Se refletirmos um pouco sobre a expressão “desenvolvimento organizacional”, podemos dizer que ela é de certa forma autoexplicativa.

Isso porque o desenvolvimento organizacional pode ser definido como as mudanças que ocorrem (e precisam ocorrer) em uma empresa, especialmente em seu staff, de forma a mantê-la funcionando e crescendo.

O grande diferencial dessa técnica é que ela não oferece uma fórmula genérica às empresas com o intuito de solucionar todos os problemas enfrentados por elas.

Dessa maneira, ao lançar mão do desenvolvimento organizacional, as companhias devem levar em conta fatores internos e externos que impactam diretamente o desempenho que elas vêm apresentando.

A partir dessa análise, as organizações têm de usar esses elementos a seu favor, conquistando, assim, o que todo empreendedor almeja para o próprio negócio: vantagem competitiva.

Vale lembrar que, quando pensamos em fatores internos, é preciso considerar:

  • A estrutura da empresa;
  • A capacitação do staff;
  • Os recursos disponíveis que garantem a manutenção do negócio;
  • O que a empresa oferece de valor aos clientes;
  • A cultura e os valores da companhia.

E, com relação aos elementos externos, é importante avaliar:

  • Inovações tecnológicas;
  • Oscilações econômicas;
  • Concorrência;
  • Mudanças no mercado e no comportamento do consumidor;
  • Transformações socioculturais.

No desenvolvimento organizacional considera-se que fatores internos e externos afetam os processos da empresa e também que um negócio não sobrevive somente com uma boa equipe.

Para se manter sadio, ele deve estar alinhado com as tendências do mercado de trabalho.

E o que isso quer dizer?

Se sua empresa segue adotando ações muito engessadas, por exemplo, já passou da hora de ela se desburocratizar, com o intuito de promover uma gestão mais eficiente e colaborativa.

É importante destacar que uma das principais motivações da criação do desenvolvimento organizacional foi a de que muitas empresas enfrentavam problemas com os colaboradores.

E essas dificuldades estavam relacionadas principalmente a eles não se adaptarem às características próprias da organização — o que pode ser observado até hoje nas corporações.

Daí, como consequência, ocorriam (e ainda ocorrem): falta de motivação, alta rotatividade, baixo desempenho, demissões e entregas insatisfatórias aos clientes.

A seguir mostraremos as quatro características que vêm gerando mais resultados no desenvolvimento organizacional ao longo do tempo.

4 fatores que promovem o desenvolvimento organizacional

As primeiras abordagens do desenvolvimento organizacional aconteceram em 1962 como reação às transformações que as empresas vinham enfrentando até ali.

Com o tempo, observou-se que quatro principais variáveis contribuíram (e vêm contribuindo) efetivamente para o desenvolvimento organizacional. São elas:

  • Meio ambiente: deve-se levar em conta como fatores externos afetam diretamente o ambiente organizacional. Além disso, é  preciso considerar de que forma as mudanças tecnológicas e as transformações na comunicação e na partilha do conhecimento vão impactar as operações da empresa;
  • Organização: é importante que a empresa esteja em contínua (e rápida) adaptação, a fim de sobreviver em uma realidade que está em constante mudança;
  • Grupo social: uma característica fundamental de uma organização diz respeito à sensibilidade frente aos recursos humanos que fazem as operações funcionarem de fato. Nesse sentido, é preciso ser ágil na resolução de conflitos e empático ao se comunicar e exercer a liderança;
  • Indivíduo: é imprescindível pensar que cada membro da equipe possui metas próprias. A partir disso, é necessário integrá-las aos objetivos da organização, alcançando melhores resultados para ambas as partes.

Quais são os objetivos do desenvolvimento organizacional?

Quando  uma empresa busca o desenvolvimento organizacional, ela geralmente o faz por dois motivos principais:

  1. Está passando por alguma dificuldade que esteja comprometendo seus processos de forma geral;

Por exemplo: lucratividade abaixo do esperado; alta rotatividade de colaboradores; insatisfação da equipe etc.

  1. Deseja expandir de maneira a se destacar em relação à concorrência.

Assim, independentemente do propósito do negócio, o desenvolvimento organizacional irá favorecer o autoconhecimento da marca.

E essa compreensão de si mesma é o ponto de partida para que a empresa alcance os objetivos desejados.

É importante destacar desde já que, com o desenvolvimento organizacional, busca-se conscientizar a equipe de que, para atingir as metas coletivas da companhia, é preciso que cada um desempenhe com seu máximo potencial.

E, para isso acontecer, é necessário que as intenções individuais dos colaboradores estejam bem definidas, assim como o escopo da organização.

Dessa forma, a fim de promover um desenvolvimento organizacional efetivo, é imprescindível utilizar uma comunicação eficaz.

Com ela, é possível atingir os principais objetivos do desenvolvimento organizacional, que são:

  • Tornar a marca cada vez mais adaptada às questões externas, para que não se crie uma cultura organizacional fora da realidade;
  • Estabelecer o equilíbrio entre as necessidades e os objetivos da empresa e do time;
  • Aprimorar continuamente o uso das tecnologias, otimizando a comunicação;
  • Estimular a capacidade de colaboração entre indivíduos e grupos;
  • Incentivar e promover o sentimento de pertencimento dos colaboradores, não os tratando como apenas números, mas como um grupo social com características próprias e poder de decisão;
  • Desenvolver ações que tornem o ambiente de trabalho cada vez melhor, de forma a melhorar progressivamente a produtividade e a satisfação interna;
  • Reconhecer talentos na empresa.

Esses objetivos do desenvolvimento organizacional nos fazem concluir que, em uma empresa, tão importante quanto se atentar às questões econômicas que afetam as operações é dar a devida importância à equipe.

Afinal, são os recursos humanos que garantem o funcionamento e a produtividade de uma empresa.

Como implementar o desenvolvimento organizacional?

Agora que já conhecemos o conceito e os principais objetivos do desenvolvimento organizacional, partiremos para mais uma abordagem importante: a implementação do desenvolvimento organizacional.

Continue por aqui que mostraremos o passo a passo para implementar o desenvolvimento organizacional na sua empresa.

Antes de tudo, deve-se ter em mente que todo o processo pode ser dividido em três etapas: 

  1. Pesquisa;
  2. Implementação;
  3. Recompensa.

Vamos conhecer cada uma delas?

Pesquisa

Nesta etapa do desenvolvimento organizacional é imprescindível fazer a coleta de dados dos setores que precisam passar por reestruturação na empresa.

Para isso, deve-se criar um canal de comunicação eficaz com os colaboradores, a fim de que eles exponham suas ideias e reclamações, possibilitando discussões que contribuam para a análise de fatores internos.

Em seguida, tem de se fazer um mapeamento das transformações que devem ser aplicadas e um prognóstico sobre como elas irão impactar a rotina da equipe. Isso pode ser feito tanto com a ajuda do staff como a de um consultor externo, por exemplo.

Questionários, entrevistas, enquetes com os recursos humanos são alguns meios para se chegar às informações necessárias às mudanças que se deseja implementar na companhia.

Ferramentas como o formulário da plataforma Google Workspace, por exemplo, podem facilitar esse processo, na medida em que auxilia na coleta, organização e análise de dados e, consequentemente, na transformação do modus operandi da empresa.

Um bom ERP também pode ser muito útil nesta fase do desenvolvimento organizacional, porque esse sistema é capaz de gerar relatórios sobre as diferentes áreas da empresa.

Assim, dá para saber como anda a produtividade do staff, o cumprimento de prazos, o desempenho individual dos colaboradores, as entregas para os clientes finais etc.

Além da análise de fatores internos, é necessário também avaliar questões externas, como oscilações econômicas, a fim de que o crescimento da empresa esteja alinhado às tendências do mercado.

Conhecida a primeira etapa da implantação do desenvolvimento organizacional, isto é, a pesquisa, passaremos para a segunda fase, que é a implementação propriamente dita.

Implementação

Quando pensamos em desenvolvimento organizacional, devemos associá-lo automaticamente a uma mudança de mindset da empresa.

Ao aplicá-lo, a companhia visa otimizar processos de forma que suas operações aconteçam com o máximo aproveitamento possível.

Tendo isso em mente, após fazer um mapeamento dos gargalos enfrentados pelo negócio na etapa anterior (pesquisa), agora é o momento de se pensar nas estratégias que poderão solucioná-los.

Vale lembrar que implementar mudanças em uma empresa requer tempo, dedicação e paciência. Não é do dia para a noite que os resultados pretendidos serão alcançados.

O primeiro passo para o desenvolvimento organizacional acontecer de fato é ter bem traçados os objetivos que a marca quer atingir.

Além deles, é preciso antever possíveis imprevistos que podem surgir e atravancar as mudanças pretendidas.

Nesta fase de implementação, a equipe precisa ser conscientizada de que deve se unir, a fim de que a nova cultura organizacional seja incorporada verdadeiramente.

Para que isso aconteça, é bem provável que o time precise passar por treinamentos, seja submetido a frequentes feedbacks e reporte aos gestores as conquistas alcançadas.

É interessante eleger um porta-voz de cada setor para ser o intermediário entre gestor e equipe durante o processo de concretização do desenvolvimento organizacional.

Recompensa

Cada vez que a equipe “avançar uma casinha” na implantação do desenvolvimento organizacional, ela deve ser recompensada. Isso não significa onerar o caixa da empresa.

Quando as ações do time promoverem efetivamente mudanças nos resultados da companhia, deve-se pensar em incentivos e recompensas, como:

  • Vale-compras que estimulem o colaborador enquanto profissional e indivíduo;
  • Folgas;
  • Sessão de massagem ou embelezamento;
  • Celebração que valorize a atuação do colaborador dentro da empresa.

Esses gestos irão demonstrar como o esforço individual e coletivo levou à implementação bem-sucedida do desenvolvimento organizacional.

Como medir o desenvolvimento organizacional na sua empresa

Tão importante quanto implementar o desenvolvimento organizacional na sua empresa é avaliar se efetivamente ele está gerando resultados.

Ok, mas como fazer isso? Neste tópico iremos explicar.

Após o início do processo de desenvolvimento organizacional é necessário fazer um monitoramento criterioso das operações para obter um feedback preciso do que de fato tem sido modificado no negócio.

Nesse sentido, três ações se mostram imprescindíveis:

  • Sessões de conversas entre gestores e time: para abordar como as estratégias do desenvolvimento organizacional têm sido aplicadas;
  • Avaliação dos esforços da equipe: aqui é preciso analisar se os recursos humanos estão entregando verdadeiramente o máximo de empenho e, mais que isso, se estão caminhando no rumo certo;
  • Comparação dos padrões pré e pós-aplicação do desenvolvimento organizacional: deve-se mapear com bastante rigor como era o comportamento da equipe antes e depois da implementação do desenvolvimento organizacional.

Outra maneira de testar os efeitos do desenvolvimento organizacional é utilizando o PDCA. Vamos entender por quê?

Usando o PDCA

A sigla PDCA reúne as iniciais das palavras Plan (Planejar); Do (Desenvolver); Check (Checar) e Act (Atuar).

Ela representa uma ferramenta de gestão muito usada na melhoria contínua dos processos de uma empresa.

Quando utilizada no contexto do desenvolvimento organizacional, ela permite aplicar, caso necessário, medidas corretivas nas diferentes etapas do processo.

Dessa forma, ao fim de cada ciclo concluído, é preciso haver um novo planejamento de ações, a fim de que o mindset da empresa mude efetivamente.

Aplicando o desenvolvimento organizacional por meio do PDCA, a empresa conseguirá: manter-se quite com o mercado, superar desafios e valorizar o capital humano do negócio.

Não poderíamos finalizar este guia sem mencionar as principais vantagens de se aplicar o desenvolvimento organizacional na sua empresa. 

5 vantagens de aplicar o desenvolvimento organizacional 

Ao longo deste artigo, pudemos perceber a importância de se implementar o desenvolvimento organizacional em um negócio. 

Mas não custa reforçar neste tópico os principais benefícios de recorrer a essa técnica para otimizar os processos em uma companhia. São eles:

Constante evolução

As operações de uma empresa comprometida com o desenvolvimento organizacional estão em constante avanço e sintonia com o mercado.

Isso porque as estratégias aplicadas são planejadas de maneira muito criteriosa, avaliadas, aprimoradas e monitoradas.

Transparência na comunicação

O aprimoramento do feedback e da interação dos colaboradores é uma grande preocupação quando a pauta é desenvolvimento organizacional.

Por conta disso, a tendência é a de o staff manter-se alinhado aos objetivos e valores da empresa e, como consequência, alcançar resultados cada vez mais satisfatórios.

Desenvolvimento individual dos colaboradores

É preciso ter em mente que os recursos humanos representam peça fundamental na engrenagem de um negócio.

Portanto, ao se pensar no crescimento de uma organização, é imprescindível investir em treinamentos, aprimoramentos profissional e também na qualidade de vida de cada membro do time.

Aumento do lucro

Uma vez estando em dia com as tendências do mercado e mantendo a equipe estimulada e produtiva, o aumento do lucro passa a fazer parte da rotina da empresa.

Isso porque, dentre outras consequências, diminui a rotatividade de colaboradores e aumenta a qualidade de produtos e serviços oferecidos.

Melhoria nas entregas

O desenvolvimento organizacional é percebido inclusive pelos clientes finais.

Com a equipe motivada, ela acaba se engajando mais e fazendo entregas encantadoras para os consumidores da marca.

Além do mais, como o desenvolvimento organizacional leva em conta também fatores externos à empresa, isso também contribui para a satisfação do público.

Uma vez que análise competitiva, pesquisa de mercado e preferências do consumidor passam a ser avaliados antes de se oferecer produtos e serviços.

Vamos ficando por aqui!

Reunimos neste guia os principais pontos do desenvolvimento organizacional. E, para facilitar a implementação desta técnica em sua empresa, separamos um conteúdo exclusivo sobre fluxograma de processo. Clique aqui para conferir. Até a próxima!