Escalabilidade: como ajudar minha empresa a crescer com saúde?

Ao ouvir a expressão “modelo de negócio escalável” pela primeira vez, é possível associá-la à aventura de subir montanhas até o topo. Porém, em se tratando de empreendimento, a ideia de escalabilidade refere-se a empresas que conseguem aumentar consideravelmente sua receita sem a necessidade de investir em recursos na mesma proporção. 

Dê play para ouvir o texto:

Isto é, uma organização que aplica a escalabilidade em suas operações amplia seus serviços, produtos – fabricando-os em grande escala – e sua receita, colocando-se em vantagem sobre a concorrência

E essa escalabilidade não vem do aproveitamento de boas ondas ou conjunturas econômicas para expandir as atividades. 

Uma empresa que usa a escalabilidade em sua rotina já vem de um histórico de crescimento contínuo e sustentável

Normalmente o aumento da produção de mercadorias e do oferecimento de serviços em um empreendimento gera despesas a ele, e não lucro. 

Já com a escalabilidade, o salto no faturamento da empresa é inversamente proporcional à demanda por recursos para a produção. 

Mas, na prática, o que é necessário para implantar a escalabilidade na rotina do seu negócio?

O que é preciso para aplicar a escalabilidade em meu empreendimento?

Três fatores são fundamentais para que a escalabilidade faça parte das operações de sua empresa. 

  • Ser valiosa: ao oferecer serviços ou produtos, deve-se preocupar com a excelência das entregas. Dessa forma, sua empresa ficará em posição privilegiada em relação às outras do mesmo segmento; 
  • Ser ensinável: para uma empresa progredir usando a escalabilidade, é necessário que o gestor consiga transmitir o passo a passo do processo produtivo a qualquer membro do empreendimento, pois isso facilita sua expansão;
  • Ser replicável: os processos operacionais de sua empresa devem favorecer a multiplicação de produtos e serviços ofertados e, proporcionalmente, aumentar a receita organizacional. Isso é o princípio da escalabilidade. 

Quanto a este último item, é importante destacar que, uma vez bem-sucedido o modelo de produção de seu empreendimento, a possibilidade de este expandir, inclusive através da abertura de franquias, é grande. 

Por exemplo, você possui uma loja de açaí em um bairro pequeno da sua cidade. E a qualidade dos sucos feitos com a polpa e vendidos em diferentes tamanhos rapidamente é espalhada através do boca a boca. 

Por isso, seu microempreendimento passa a receber uma clientela extraordinária e praticamente não dá conta das demandas.

Em razão disso, você, proprietário do estabelecimento, precisa instruir seus colaboradores sobre todo o preparo do açaí até a entrega ao cliente final. 

Ainda assim, mesmo otimizando o trabalho da sua equipe através dos princípios da escalabilidade, o sucesso de seu negócio não para.

Surge, então, a iniciativa de franqueá-lo. Neste momento, a escalabilidade torna-se imperativa, porque todos os valores e processos que fazem parte do dia a dia da sua empresa terão de ser replicados aos franqueados. 

Franqueando a minha empresa 

Como vimos, o termo escalabilidade está associado à produção em escala, ou seja, àquilo que pode ser reproduzido em grande quantidade, apresentando vantagens mercadológicas

Alguns exemplos de negócios que usam a escalabilidade são: serviços de telecomunicações; redes sociais e veículos de comunicação. 

O denominador comum desses três exemplos refere-se ao fato de todos eles atenderem a uma grande quantidade de clientes/usuários através de uma estrutura comum a todos. 

No caso de empresas menores, como restaurantes, bares, serviços de estética e consultoria, por exemplo, expandir a lucratividade está diretamente ligado a aumentar, na mesma proporção, o investimento e a equipe. 

Para inserir a escalabilidade nesses tipos de estabelecimentos, uma alternativa é a criação de um sistema de franquia.

Assim, o franqueador pode aumentar significativamente suas vendas sem ter gastos com infraestrutura e staff, pois isso ficará a cargo do franqueado. 

O que define uma franquia como modelo de negócio escalável

Ao optar por franquear um negócio, o empreendedor consegue ampliar o faturamento, mantendo efetivamente a saúde financeira de seu empreendimento.

Isso porque, como dito anteriormente, o aumento do lucro não lhe exigiu nem exigirá novos investimentos, pois estes ficarão sob responsabilidade do franqueado. 

Outra questão importante sobre franquia diz respeito à transmissão do know-how da gestão, seja através de manuais, de teleconferências ou aulas presenciais, por parte do franqueador. 

Ao delegar ao franqueado as técnicas de administração do negócio, o franqueador deixa de acumular funções e se sobrecarregar, estimulando, dessa maneira, o crescimento do empreendimento

Além de transmitir o know-how da gestão, o franqueador também instrui o franqueado sobre os padrões de qualidade da matriz. 

E o que há de escalabilidade nessa descrição sobre o funcionamento de uma franquia? 

  • Replicabilidade: o franqueador transmite ao franqueado o know-how da administração da empresa, além dos parâmetros de qualidade dos produtos/serviços comercializados;
  • Padronização: uma vez aberta, a franquia irá funcionar seguindo os padrões estabelecidos pela matriz. Assim, independentemente da unidade em que o cliente estiver, ele terá experiência semelhante com os serviços/produtos adquiridos; 
  • Automatização dos processos: para que a rede de franquias opere em sincronia, automatizar tarefas é indispensável. 

Já no momento de apresentar informações importantes da franchising ao franqueado, a necessidade de usar a automação se mostra grande. 

Porque nem sempre o franqueado e sua equipe podem se reunir no mesmo local e na mesma data para receber instruções do franqueador. 

Além disso, um software ERP que funcione como SaaS (software as a service) pode ser disponibilizado a várias empresas simultaneamente com a plataforma e suas peculiaridades sendo desenvolvidas uma única vez. 

Daí a importância de softwares de automação para aplicar a escalabilidade nas empresas.  

A importância da automação na escalabilidade do negócio

Em tempos de dispositivos e aplicativos que atendem as mais diferentes demandas, não dá para pensar na escalabilidade de um empreendimento sem levar em conta as facilidades trazidas pela tecnologia

Nesse sentido, softwares e ferramentas modernizam processos dentro de uma empresa, como a gestão de recursos humanos, de caixa, de informação etc., o que contribui significamente para a tomada de decisão acertada dos gestores.   

Se a essência da escalabilidade refere-se ao aumento das vendas ou do oferecimento de serviços padronizados sem que sejam necessários grandes investimentos, a tecnologia novamente se mostra como aliada. 

Pois ela substitui procedimentos manuais, burocráticos e lentos por automatizações que, além de eficientes, têm baixo custo

Essa substituição, em muitos casos, dispensa a utilização e contratação de determinadas mãos de obra, tornando as operações da empresa mais dinâmicas e prósperas.  

Outra contribuição considerável das tecnologias para a escalabilidade de um empreendimento diz respeito à integração de modelos de negócio diferentes, como uma loja física que também possui um varejo on-line

A tecnologia permite ainda o acesso a dados precisos referentes ao cotidiano da empresa, possibilitando melhores decisões sobre mudanças necessárias e novos investimentos. 

Em suma, quanto mais automatizada uma empresa é, mais potencial ela tem para implantar a escalabilidade em sua rotina.

Porque, com a automação, é possível padronizar as atividades que serão desempenhadas, garantindo a qualidade do serviço ou produto final comercializado. 

A seguir, vamos ver alguns exemplos de empresas que usam a escalabilidade em suas operações. 

Empresas famosas que usam a escalabilidade

Ao longo deste artigo, abordamos a escalabilidade como a capacidade de uma empresa de alavancar suas vendas, seja de produtos ou serviços, sem aumentar muito seus custos.

Se até aqui citamos exemplos de empreendimentos menores que, visando à expansão no mercado, adotam a escalabilidade, neste tópico, falaremos da escalabilidade em empresas maiores e mais conhecidas.

O Facebook e a Netflix são exemplos de empresas fundamentadas no conceito de  escalabilidade. Por quê? 

Porque ambas atingem bilhões de pessoas ao mesmo tempo, oferecendo o mesmo serviço para todas. 

Sendo assim, cumprem o requisito primordial da escalabilidade, isto é, obtêm uma receita expressiva sem ter de aumentar encargos internos

Pensemos no Facebook, que utiliza uma única plataforma por onde trafegam bilhões de usuários todos os dias. 

As receitas da rede social vêm indiretamente desse tráfego, através principalmente de publicidade, incluindo os perfis patrocinados. 

A Netflix é outro exemplo de empreendimento cujo funcionamento está baseado na escalabilidade. 

O fato de ela ser uma provedora global de filmes e séries televisivas via streaming já lhe exige um comportamento escalável

Ao disponibilizar centenas de títulos a públicos de todas as partes do mundo, demonstra-se que, independentemente do número usuários, os gastos com a manutenção da plataforma serão praticamente os mesmos.

Eis um exemplo representativo de escalabilidade: expansão do número de usuários sem grandes investimentos na disponibilização de filmes. 

Assim, se as despesas são praticamente fixas, quanto maior for o número de clientes pagando a taxa mensal, maior será o lucro da Netflix.  

Escalabilidade na venda direta

Outra marca famosa que usa a escalabilidade em seu cotidiano é a Avon. 

Mesmo em tempos anteriores ao e-commerce, a empresa norte-americana de cosméticos já comercializava seus produtos através da venda direta

Mas o que significa venda direta? 

Trata-se de um sistema de comercialização de mercadorias e serviços feito diretamente com o consumidor, sem um espaço físico para as transações acontecerem.

Perceba como a escalabilidade está presente nesse método de vendas, pois não há investimento imobiliário e, por isso, a probabilidade de aumento da receita é grande. 

Os catálogos com os produtos da Avon sendo divulgados pelas revendedoras também exemplificam bem o conceito de escalabilidade.  

Pois, em vez de realizar grandes investimentos em pontos de venda fixos, a empresa apostou em vendedoras ambulantes.

Dessa forma, aumentou o alcance de seus produtos, através da divulgação e não precisou investir em mão de obra, porque as revendedoras recebem comissão do que foi vendido. 

A seguir, vamos apresentar algumas sugestões para a escalabilidade entrar de vez na rotina da sua organização. 

Dicas para tornar seu empreendimento escalável 

Na introdução deste artigo, vimos as condições necessárias para aplicar a escalabilidade em seu negócio. 

Uma vez avaliados esses requisitos, apresentamos a seguir algumas sugestões para a escalabilidade tornar-se uma realidade em seu empreendimento. 

Faça planejamentos orçamentários

Pois, através deles, é possível criar uma estimativa futura da receita e despesa de sua empresa.

Dependendo do resultado desse cálculo, é possível compreender o momento ideal de ampliar ou não suas operações

Mantenha sempre atualizada a gestão financeira da sua empresa 

Isso envolve a análise de contas a pagar e receber, controle do fluxo de caixa, captação e aplicação de recursos, revisão de crédito e cobranças a fazer.

Analise cenários 

Isso permite que você verifique o momento adequado para sua empresa crescer.

Por exemplo, a baixa do dólar impacta seu negócio de alguma forma? Financiamentos com juros baixos poderiam favorecer suas operações? 

Observe a concorrência 

Analise seus concorrentes e encontre pontos fortes e fracos da sua empresa. Essa comparação lhe permite enxergar o que pode ser aperfeiçoado em seus produtos e serviços.

Este item é muito importante para quem pretende usar a escalabilidade em seu empreendimento.

Pois, para aderir à escalabilidade, um negócio tem, como regra fundamental, de entregar produtos e serviços de ótima qualidade. Senão é injustificável a expansão da empresa. 

Realize um plano estratégico de expansão da sua empresa 

Neste item, é preciso avaliar demandas, como: recursos humanos necessários para dar conta do crescimento da empresa, gestão do capital, necessidade de parcerias e como fazer a manutenção constante da expansão do empreendimento. 

Vantagens de se ter uma empresa escalável

Para finalizar este artigo sobre escalabilidade, vamos enumerar algumas vantagens do modelo de negócio escalável:

  • Rendimento: como vimos ao longo de todo este conteúdo, a escalabilidade está diretamente ligada ao aumento da receita sem grandes impactos nos custos das operações de uma empresa; 
  • Equipe enxuta: já que a escalabilidade promove o aumento da receita sem precisar de muito investimento, ter mão de obra altamente qualificada e time reduzido são essenciais para um empreendimento escalável;
  • Facilidade para captação de recursos: o mercado financeiro se mantém sempre atento a empresas que usam a escalabilidade em seus processos. Isso porque negócios escaláveis são mais lucrativos. Por isso, ao escolher onde aplicar um capital, os investidores costumam privilegiar empreendimentos que empregam a escalabilidade;
  • Eficiência e agilidade: como a ideia de escalabilidade está diretamente ligada à sistematização de processos, em modelo de negócio escalável, ganha-se em eficiência e agilidade;
  • Grande alcance: uma vez aplicada a escalabilidade em uma empresa, esta pode se expandir sem fronteiras, podendo ser franqueada por inúmeros empresários;
  • Constante desenvolvimento do empreendimento: quando se pensa em escalabilidade, a palavra de ordem é padronização de processos. Nesse sentido, as operações da empresa vão se aperfeiçoando e, consequentemente, o progresso torna-se uma constante. 

A escalabilidade está diretamente associada ao crescimento contínuo de um empreendimento.  

Sendo assim, a possibilidade de uma empresa que usa a escalabilidade em suas ações expandir-se nacional ou internacionalmente é maior em comparação a negócios não escaláveis. 

Por fim, podemos concluir que não é possível aplicar a escalabilidade em seu empreendimento sem que haja otimização de processos em sua gestão. Por isso, recomendamos a leitura: Otimização de Processos: o passo a passo para aprender ainda hoje

 

Robson Lins

Bacharel em Administração pela Universidade Federal de Campina Grande, CMO na AM3 Soluções, apaixonado por cinema, música e tecnologia.

Deixe uma Resposta