O que é fluxo de caixa e como fazer [da maneira antiga e da nova]

Todo dono de negócio que deseja ter plena organização financeira do empreendimento necessita utilizar algumas ferramentas, e saber o que é fluxo de caixa é essencial.

Dê play para ouvir o texto!

Isso porque esse instrumento auxilia a realizar não só o controle financeiro da empresa, mas também o planejamento dos recursos. Mas o que é fluxo de caixa na prática?

Continue a leitura para ter a resposta dessa dúvida. Você também vai saber qual a importância dessa ferramenta e como fazê-la tanto da maneira antiga quanto da nova.

O que é fluxo de caixa?

Os gestores de empresas precisam ter em mãos o maior número possível de informações. Só assim é possível tomar decisões assertivas no dia a dia da organização.

Por exemplo: como saber qual área necessita de investimentos ou quais despesas podem ser reduzidas sem algo que demonstre todos os dados da empresa?

É por isso que saber o que é fluxo de caixa, qual a importância dessa ferramenta e como utilizá-la se torna tão essencial para qualquer empreendimento.

Com dados financeiros assertivos disponíveis de forma clara para os gestores, como os da área contábil, eles conseguem analisar a situação do negócio e ver em quais frentes determinadas ações são necessárias.

Mas o que é fluxo de caixa na prática? Basicamente, trata-se de uma ferramenta para realizar o controle financeiro de uma empresa.

É por meio do fluxo de caixa que se consegue ter uma visão de quanto dinheiro está entrando na empresa, quanto dinheiro está saindo e quando isso irá acontecer.

Assim, é possível avaliar prazos de pagamentos e recebimentos e verificar se a empresa terá condições de pagar seus fornecedores na data acordada.

Para exercer um bom controle de caixa, é preciso que os registros de gastos e ganhos sejam detalhados e não apresentem erros. Além disso, é necessário ter disciplina nesse registro.

O fluxo de caixa conta com algumas informações básicas. São elas:

  • Saldo inicial: corresponde à quantia que está disponível no início do período compreendido pelo fluxo;
  • Receitas ou entradas: trata-se do dinheiro que foi recebido por meio de vendas de produtos ou serviços da empresa, bem como por empréstimos;
  • Despesas ou saídas: correspondem à quantia destinada a compras, parcelas de financiamento, salários dos colaboradores, entre outros;
  • Saldo final: refere-se ao dinheiro que está disponível no fim do período analisado, correspondendo à diferença entre as saídas e a soma do saldo inicial com as entradas.

É válido ressaltar que esse saldo final deve corresponder aos recursos que estão disponíveis no caixa da empresa ou em contas bancárias do estabelecimento.

Agora que você já sabe o que é fluxo de caixa, é importante ter em mente a periodicidade de realização dele, que pode ser diária, semanal, quinzenal ou mensal.

O que de fato vai determinar esse período de realização do fluxo de caixa é a necessidade que a empresa tiver de acompanhar todas as suas movimentações financeiras.

Após saber o que é fluxo de caixa, você pode estar se perguntando como realizá-lo na prática. Antes de explorarmos essa informação, é válido destacar a importância dessa ferramenta.

Qual a importância do fluxo de caixa?

Até agora, você conheceu o que é fluxo de caixa e inclusive foram destacados alguns benefícios de fazê-lo nas empresas. Mas você realmente sabe qual a importância dessa ferramenta?

Um primeiro ponto a ser considerado é que o fluxo de caixa permite que gestores e donos de negócio tenham uma visão mais clara da realidade da empresa.

“Mas o que isso significa efetivamente?”, você pode questionar. Bem, dependendo do tipo e tamanho do negócio, são muitas as movimentações feitas.

Pense só em todos os gastos que uma empresa tem. Eles vão desde produtos para o funcionamento, como de limpeza, até energia elétrica, água, aluguel (se for o caso) etc.

Fora o gasto com fornecedores e com a folha de pagamento dos colaboradores. Há empresas que, por sua vez, também precisam quitar empréstimos ou financiamentos.

Se tudo isso não é acompanhado bem de perto, com certeza o gestor vai perder o controle e, ao fim do mês, ver seu caixa bem vazio.

Daí vem a importância não só de saber o que é fluxo de caixa, mas de realmente utilizá-lo. Por meio dessa ferramenta, é possível verificar qual percentual do orçamento é destinado para cada centro de custo e onde está concentrado o gasto mensal da empresa.

A partir disso, tem-se uma visão que permite comparar a distribuição de custos em cada segmento do negócio e, assim, verificar ações necessárias e possíveis para diminuí-los.

Além dessa vantagem, o fluxo de caixa, ao englobar as receitas ou entradas, permite que a empresa tenha previsibilidade dos valores que receberá no futuro, auxiliando a determinar o orçamento.

Tudo isso auxilia a ter ganho de tempo para decidir o que fazer, como: realocar recursos, fazer investimentos, aportar recursos, negociar prazos com fornecedores, entre outras ações.

Um último benefício do fluxo de caixa é que, com ele, os gestores conseguem antecipar decisões importantes para o negócio. Por exemplo: organizar promoções para os clientes visando diminuir o estoque.

Percebe-se então o fluxo de caixa como uma ferramenta indispensável para realizar uma gestão inteligente de qualquer negócio.

Mas você sabia que não existe apenas um tipo de fluxo de caixa que pode ser utilizado? Continue a leitura para conhecer alguns deles.

Tipos de fluxo de caixa

Existem alguns tipos de fluxo de caixa que sua empresa pode adotar. A seguir, apresentamos alguns deles e algumas dicas para realizá-lo de forma efetiva.

Fluxo de caixa livre

Trata-se do fluxo de caixa que vai apresentar a quantidade de dinheiro restante para uma empresa após a quitação de todos os gastos do negócio.

Ele pode ser usado, em geral, para pagar dívidas da empresa ou dividendos dos acionistas. Assim, ele permite verificar qual a capacidade de um negócio em gerar bons resultados a curto, médio e longo prazo.

Fluxo de caixa projetado

Como o próprio nome indica, esse é o tipo de fluxo de caixa que trará uma projeção das entradas e saídas financeiras em uma empresa em certo período.

Ele é muito válido ao auxiliar o gestor a antecipar riscos para a empresa, como também controlar os prazos de pagamentos de fornecedores e agir antes que situações negativas aconteçam.

Fluxo de caixa descontado

O fluxo de caixa descontado faz com que seja possível estimar o quanto a empresa irá valorizar em certo período. Isso é feito com base em projeções tanto de fluxo de caixa quanto de descontos.

Essas projeções são baseadas em valores atuais, e pode-se fazer uma estimativa do potencial dessa empresa. Um valor resultando do fluxo de caixa descontado maior que o valor atual da empresa mostra que ela é um bom investimento.

Dicas para fazer seu fluxo de caixa

Independentemente do tipo de fluxo de caixa que for mais adequado à sua empresa, tenha em mente as seguintes dicas para utilizar essa ferramenta da melhor forma:

1. Divida as entradas e as saídas

Tenha claras quais são as entradas do seu negócio e quais são as saídas. Atente-se para não deixar nenhum item de fora a fim de que seu fluxo de caixa seja o mais fiel possível à sua realidade.

2. Especifique seus dados

Para realizar um fluxo de caixa que realmente permita ao gestor ter uma visão global do negócio, você precisa especificar os dados.

Por exemplo: em vez de relacionar as despesas operacionais com esse nome (“despesas operacionais”), destrinche essas saídas em água, luz, internet, aluguel, materiais de limpeza etc.

Dessa maneira, o gestor poderá verificar qual despesa está ultrapassando o ideal e pensar em esforços específicos para melhorar a situação.

3. Analise os resultados

Como está sendo dito desde o início deste artigo, o fluxo de caixa é uma excelente ferramenta para análise do negócio. Isso significa que você, de fato, precisa analisar os resultados dele!

Porém, este é um movimento que exige muita atenção e visão do todo do empreendimento. Isso porque um fluxo de caixa diário, por exemplo, pode apontar, em alguns dias, um saldo negativo.

Isso significa que seu negócio vai de mal a pior? Nem sempre! Sabemos que existem dias melhores que outros, e é preciso raciocinar bem na análise desses resultados.

Ao verificar que o saldo realmente ficou negativo em um período maior de tempo, aí sim é o momento de pensar em estratégias para reverter a situação.

Alguns gestores optam por cortar gastos; já outros focam o aumento das vendas. Pois saiba que somente uma análise bem-feita do fluxo de caixa vai indicar para você qual o melhor caminho a seguir.

Ao entender o que é fluxo de caixa e conhecer alguns tipos, provavelmente você já quer conhecer como estruturar essa ferramenta no seu negócio, não é mesmo?

Saiba que existem basicamente duas formas de utilizar o fluxo de caixa. A primeira é conhecida como da maneira antiga, ou seja, no papel ou planilhas. Já a segunda, privilegia a automação, por meio do uso de softwares.

Então continue a leitura para conhecer essas duas maneiras e realizar o fluxo de caixa em sua empresa agora mesmo!

Como fazer o fluxo de caixa

Conforme dissemos anteriormente, são duas as maneiras de fazer o fluxo de caixa: no papel ou planilhas, ou seja, manualmente, e por meio de softwares que auxiliam a automatizar esta tarefa.

A seguir, veja em detalhes essas opções e você poderá optar pela maneira que melhor se adequa à realidade da sua empresa.

Manualmente

Sim, apesar de estarmos em uma era automatizada, com a tecnologia presente em praticamente todos os setores da vida e de uma empresa, pode-se realizar o fluxo de caixa de maneira antiga.

Esta é basicamente utilizando papéis ou então planilhas de Excel. Existem alguns arquivos desses prontos e que são disponibilizados, como pelo Sebrae.

Normalmente, essas planilhas apresentam colunas com as previsões por períodos e linhas que determinam detalhadamente as entradas e as saídas do negócio.

Assim, após preencher cada item manualmente, chega-se ao saldo final. É isso mesmo: manualmente. Parece trabalhoso, não é mesmo?

Dependendo do tamanho da sua empresa, pode até que seja possível, a princípio, realizar o fluxo de caixa com planilhas assim.

No entanto, com o passar do tempo, você ou seu gestor financeiro vai acabar percebendo que está sendo gasto um tempo precioso com uma tarefa que poderia ser facilmente automatizada.

Aí é o momento de passar a fazer o fluxo de caixa contando com a ajuda – mais que necessária – da tecnologia.

Por meio de software

Utilizar um software de automação, como o da AM3 Soluções, é a forma mais indicada para otimizar a realização do fluxo de caixa da sua empresa.

Estamos falando do conceito de softwares ERP (Enterprise Resource Planning ou Planejamento de Recursos da Empresa). Trata-se de sistemas que integram as operações do negócio.

Isso se dá por meio de funcionalidades que não só facilitam o fluxo de dados pelas áreas, como também deixam as tarefas mais dinâmicas e otimizadas, aumentando a produtividade e auxiliando nas tomadas de decisão.

Sua empresa vai contar com processos padronizados em todas as áreas, com dados digitalizados e acessíveis a quem importa. Isso facilita a gestão como um todo.

Ao automatizar sua empresa (e, consequentemente, a realização do seu fluxo de caixa) com a ajuda da AM3 Soluções, você estará contando com um apoio profissional que auxilia inclusive a criar processos. Assim, o conhecimento sobre o negócio aumenta, o que permite identificar necessidades de mudança.

Sabendo o que é fluxo de caixa e tendo um software de uma empresa profissional para auxiliá-lo a utilizar essa ferramenta de gestão financeira, você contará com:

  • Sigilo e segurança de informações;
  • Suporte técnico especializado;
  • Auxílio de especialistas em diversas áreas, contribuindo para a análise dos dados;
  • Relatórios gerenciais indispensáveis para conduzir o negócio voltado para o objetivo estratégico.

Viu só como utilizar a tecnologia a favor do seu negócio pode ajudá-lo a tomar decisões mais assertivas e a gerenciar as operações rumo ao sucesso?

Ao saber o que é fluxo de caixa e como realizá-lo, você tem em mãos uma ferramenta excelente para analisar a saúde financeira do seu negócio. Aprofunde seus conhecimentos acessando nosso artigo: Saúde financeira: dicas práticas de como mantê-la em dia.

eBook Meios de pagamento: tudo o que você precisa saber para escolher com qual trabalhar