Se lhe perguntassem o que é capital de giro, provavelmente você teria ao menos uma noção do termo, certo? Podemos adiantar que ele é fundamental para o controle financeiro das empresas e a manutenção de suas operações.

Por conta da imensa importância do capital de giro para um negócio, preparamos este guia pensando em você, amigo leitor. Veja o que você vai encontrar:

  • Você sabe o que é capital de giro?
  • Por que o capital de giro é tão importante para as empresas?
  • Como fazer o cálculo do capital de giro?
  • A saúde financeira da sua empresa está nas mãos do capital de giro;
  • Quais são os tipos de capital de giro existentes?
  • Minha empresa faz um mau controle do capital de giro, e agora?
  • Controlando o capital de giro na prática.

Para mergulharmos de cabeça no tema, é imprescindível saber efetivamente o que é capital de giro. Então vamos lá?

Você sabe o que é capital de giro?

Um fenômeno não muito raro de observar na economia diz respeito a empresas que acabam indo à falência já nos primeiros anos de atuação no mercado, conforme mostra o IBGE.

Geralmente o motivo desse insucesso está relacionado à falta de planejamento financeiro.

E o capital de giro, quando não é bem administrado, pode se tornar o grande vilão dos investimentos de médio e longo prazos, levando muitas vezes a empresa a operar no vermelho.

O capital de giro está diretamente ligado ao funcionamento sustentável da organização.

Bom, chega de delonga e vamos resolver a questão que dá título a este tópico. Afinal, o que é capital de giro?

Trata-se basicamente da disponibilidade financeira imediata da empresa, isto é, dos recursos de que uma organização dispõe para se manter em funcionamento diariamente.

Quando pensamos no que é capital de giro, podemos considerar ainda os bens que a empresa possui e que podem ser convertidos em capital em um curto prazo. Alguns exemplos:

  • Dinheiro em caixa;
  • Saldo da conta-corrente;
  • Contas a receber;
  • Aplicações financeiras;
  • Mercadorias que apresentam boa saída;
  • Insumos em estoque.

É importante destacar que o capital de giro é o resultado da diferença entre o dinheiro que a empresa tem disponível e o montante que será utilizado para quitar todas as dívidas pendentes.

Esses débitos podem ser:

  • Despesas fixas, como conta de luz, água, aluguel, vencimentos dos colaboradores etc.; 
  • Gastos necessários para a produção e comercialização dos produtos e serviços;
  • Custos extras que surgirem inesperadamente.

Com relação ao controle do capital de giro, um erro comum de acontecer é o de o empreendedor gastá-lo no início das atividades da empresa e depois a continuidade do negócio se tornar insustentável.

Por que o capital de giro é tão importante para as empresas?

No tópico anterior, em que explicamos o que é capital de giro, já deu para ter uma ideia da importância desse recurso para o bem-estar de uma empresa.

A partir de agora iremos mostrar quatro principais motivos que confirmam a importância do capital de giro para as empresas de diferentes portes e segmentos. Continue por aí, caro leitor.

Controle das finanças

Sabendo exatamente quanto o seu negócio tem de capital de giro, é possível realizar um melhor controle das finanças em sua empresa, na medida em que se mantém o acompanhamento das contas a pagar e receber, por exemplo.

Como consequência, o setor administrativo fica por dentro do melhor momento para fazer as compras da empresa e assumir prazos, evitando descompasso entre pagamentos e recebimentos.

Análise do lucro real da marca

Quando o gestor (ou empreendedor) dá a devida atenção ao capital de giro da empresa, ele age de modo a manter as contas dos ativos e passivos em equilíbrio e, então, passa a se orientar pela rentabilidade real do negócio.

Caso haja um estoque parado que não traz movimentação financeira para o empreendimento, por exemplo, o gestor deve avaliar como transformá-lo em capital de giro, melhorando o fluxo de caixa.

Antecipação a riscos

Com a administração bem-feita do capital de giro, consegue-se analisar os riscos financeiros da companhia, evitando dar um passo maior que a perna, por exemplo.

Além disso, por meio da análise dos resultados do negócio, é possível criar estratégias que irão gerar lucros para a empresa em longo prazo. E são atitudes assim que tornam uma marca sólida.

Maior segurança diante de contratempos

Outra vantagem que o capital de giro apresenta é uma maior segurança diante de imprevistos.

Imagine um débito com que não se estava contando surja entre as contas fixas da empresa. Sem um capital de giro, o pagamento dessa despesa poderia prejudicar as operações do negócio.

Como fazer o cálculo do capital de giro?

Agora que já sabemos o que é capital de giro e por que ele é tão importante para as empresas, é chegado o momento de aprender a calculá-lo.

Para o seu alívio, esse cálculo é bem simples de fazer. Vamos conhecer a fórmula que permite realizá-lo?

CGL = AC – PC

Em que:

  • CGL quer dizer capital de giro líquido;
  • AC significa ativo circulante;
  • PC corresponde a passivo circulante.

E o que representa cada um desses termos? É o que veremos a partir de agora.

Capital de giro líquido

Ele abrange, como mostra a fórmula, todos os ativos (bens que podem ser convertidos em dinheiro) e passivos (dívidas e obrigações financeiras de uma empresa) de curto prazo.

Na prática, o capital de giro líquido, como o próprio nome sugere, indica a liquidez de uma empresa, ou seja, a rapidez com que um bem pode ser transformado em montante.

Ativo circulante

Ele indica as disponibilidades financeiras da empresa, isto é, os bens e direitos que deverão ser convertidos em dinheiro ou vendidos em determinado período.

Dos principais ativos circulantes, podemos citar:

  • Caixa da empresa;
  • Saldo da conta do empreendimento;
  • Investimentos e aplicações financeiras da marca;
  • Contas a receber;
  • Produtos e matérias-primas em estoque.

Passivo circulante

Ao contrário do ativo circulante, o passivo circulante representa os compromissos financeiros da empresa nos próximos 12 meses.

Vale lembrar que as obrigações qualificadas como passivos circulantes devem ser quitadas com os ativos circulantes da empresa.

Vamos aos principais exemplos de passivos circulantes?

  • Impostos;
  • Salários, férias e demais obrigações trabalhistas;
  • Pagamentos a fornecedores;
  • Aluguel, água, luz, manutenção;
  • Pagamento a bancos e instituições financeiras.

Conhecida a fórmula para calcular o capital de giro da empresa, que tal um exemplo prático?

Exemplo prático de como calcular o capital de giro

Imagine que um salão de cabeleireiro tenha um ativo circulante de R$ 10.000,00 e um passivo circulante de R$ 1.500,00. Qual é o capital de giro do estabelecimento?

CGL = 10.000 – 1.500 = 8.500

A resposta é: R$ 8.500,00. Podemos concluir, com esse resultado, que o salão possui um capital de giro suficiente para arcar com os compromissos financeiros em curto prazo.

Neste ponto do artigo, já sabemos o que é capital de giro, qual é a sua importância e como calculá-lo.

A seguir mostraremos a importância desse recurso para a permanência a longo prazo da marca no mercado. Imperdível, não?

A saúde financeira da sua empresa está nas mãos do capital de giro

Como já mencionamos neste guia, muitas empresas vão à falência ainda nos primeiros anos de atuação no mercado. Isso se deve especialmente a um planejamento financeiro de longo prazo inconsistente.

E como é possível reverter essa situação?

Um grande erro cometido por empreendedores é acreditar que apenas os recursos do caixa da empresa farão as vezes de capital de giro. A longo prazo, essa crença cai por terra.

Para uma marca permanecer no mercado e se tornar sólida, ela pode, por exemplo, optar por uma linha de crédito para capital de giro de longo prazo, desde que essa medida seja feita com responsabilidade e segurança.

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) é uma das principais instituições que promovem o desenvolvimento de empresas no mundo, por meio de financiamentos de longo prazo.

A solicitação de recursos ao BNDES pode ser feita através de entidades financeiras credenciadas ou diretamente pelo próprio gestor/empreendedor.

Quais são os tipos de capital de giro existentes?

Capital de giro não é sinônimo apenas de dinheiro na mão. Produtos ou insumos em estoque, por exemplo, também podem representá-lo.

Vamos conhecer os principais tipos de capital de giro?

Capital de giro bruto e líquido

O valor total de ativos circulantes da empresa equivale ao capital de giro bruto. Enquanto a diferença positiva entre os ativos circulantes e os passivos circulantes é o capital de giro líquido, também chamado de capital de giro próprio.

Capital de giro permanente

O capital de giro permanente refere-se ao mínimo de capital de giro que deve permanecer investido.

Por exemplo, você destina parte do lucro, das contas a receber e/ou de ações da empresa a algum produto de alta liquidez, para que se forme uma reserva financeira e as operações aconteçam com mais tranquilidade.

Capital de giro variável

Quando falamos em capital de giro variável, devemos ter em mente valores a serem sacados para cobrir variações de necessidades do capital de giro, ou seja, demandas específicas e pontuais.

Minha empresa faz um mau controle do capital de giro, e agora?

Sem um controle rígido do capital de giro, ele tende a se tornar insuficiente, de forma a aumentar os riscos operacionais da empresa.

Imagine, por exemplo, não ter dinheiro suficiente para quitar os custos fixos da organização?

Quando isso acontece, o negócio fica sujeito a um caixa negativo que, por sua vez, irá comprometer o desenvolvimento de praticamente todas as atividades do empreendimento.

Diante das contas da empresa no vermelho, o que muitos empresários costumam fazer é tomar medidas precipitadas.

Uma delas é pedir empréstimos às pressas — normalmente a juros altos e em condições desfavoráveis — a instituições financeiras, o que tende a piorar ainda mais a situação econômica das organizações.

Daí, a falência se torna uma possibilidade muito forte, porque o negócio fica mais endividado, devido justamente à falta de controle do capital de giro.

Uma notícia boa: há maneiras simples de manter o capital de giro da sua empresa estável. As principais delas são:

  • Ter um controle dos clientes inadimplentes, adotando políticas de cobrança;
  • Manter atualizada toda a documentação referente às operações financeiras da marca;
  • Renegociar dívidas para o longo prazo;
  • Conhecer profundamente o fluxo do caixa;
  • Incentivar uma política de constante redução de custos e despesas.

Controlando o capital de giro na prática

Tão importante quanto saber o que é capital de giro é compreender como controlá-lo na prática. E este tópico é dedicado a isso. Continue por aqui.

Ao utilizar as técnicas que iremos apresentar logo abaixo, não só o capital de giro da sua empresa será satisfatório como todos os resultados do negócio tenderão a melhorar.

Faça uma boa gestão do capital de giro

Para administrar da melhor forma o capital de giro da sua empresa é preciso primeiramente definir como ele será utilizado.

Realizado isso, restará fazer a gestão desse recurso. Nessa administração, será necessário estabelecer o momento ideal para usar (parte do) capital de giro.

É importante lembrar que uma boa gestão do capital de giro é pensada a longo prazo, porque somente pensar no curto prazo não adianta.

Acompanhe as entradas e saídas da empresa

Quando há um real acompanhamento das entradas e saídas na empresa, não há necessidade, por exemplo, de buscar adiantar os recebíveis no banco.

Vale lembrar que a antecipação de recebíveis envolve o pagamento de taxas. Então, quando ela não é feita, o caixa da empresa sai ganhando.

Utilize sistemas para auxiliar no controle do capital de giro

Existem muitos softwares de gestão (ERP) que podem auxiliar no controle do capital de giro. Esses sistemas automatizam tarefas e dados, tornando-os muito mais precisos e, portanto, confiáveis.

Dessa forma, a gestão do capital de giro é facilitada, melhorando a saúde financeira da empresa.

Dê a devida atenção ao estoque

O estoque de uma empresa representa um ativo circulante, como pudemos ver anteriormente neste guia.

Então é preciso dar a devida atenção às matérias-primas e aos produtos com maior e menor saída, de maneira a manter em estoque aquilo que de fato será convertido rapidamente em capital. Novamente um bom ERP pode ajudá-lo.

E assim vamos chegando ao fim de mais um guia com a real expectativa de que ele tenha contribuído verdadeiramente com o seu conhecimento.

Mais do que saber o que é capital de giro, você pôde compreender quão importante é controlar esse recurso. E uma iniciativa que vem para somar quando o assunto é capital de giro diz respeito à projeção de vendas. Temos um artigo especial sobre o tema. Clique aqui para conferir. Até a próxima!