Só no primeiro trimestre de 2021, o comércio eletrônico no Brasil ganhou 3,8 milhões de novos consumidores. Com um salto de quase 50% no faturamento, o e-commerce fez com que empresas mantivessem o ritmo de vendas mesmo com a pandemia. Diante desse cenário, criar loja virtual pode ser uma alternativa para driblar a recessão.

Mas por onde começar? Em qual plataforma a loja virtual irá funcionar? Qual nome ela deve ter? E, com relação às notas fiscais, como proceder?

Essas e outras questões serão esclarecidas neste guia. Então, não dá para perder a leitura por nada, hein?!

Veja o que vamos abordar aqui.

  • Conceito de loja virtual;
  • 11 etapas para criar loja virtual;
  • Quer vender on-line? Saiba como a AM3Shop pode te ajudar; 
  • Veja como o consumo on-line deu um boom.

Vamos lá?

Conceito de loja virtual

Antes de criar loja virtual, é importante saber verdadeiramente o que ela representa, não é mesmo?

De uma maneira mais simples, podemos definir loja virtual como um ambiente pensado para viabilizar a divulgação de produtos e a realização de vendas on-line.

Se fizermos uma abordagem mais técnica, a loja virtual diz respeito a um software desenvolvido para o espaço web e direcionado para navegadores que sejam potenciais consumidores de produtos ou serviços.

Hoje em dia, esse programa pode ser utilizado não só em computadores, mas também em dispositivos móveis, como smartphones, smartwatches e tablets.

Com relação ao comércio on-line praticado através desses últimos equipamentos, o termo utilizado para designá-lo é mobile commerce ou e-commerce.

Não importa o meio escolhido para navegar pela loja virtual, fato é que a função primordial dela é ser uma ferramenta para as negociações de compra e venda de produtos e serviços.

Para isso, assim como acontece com varejos físicos, o e-commerce deve disponibilizar informações que ajudem o usuário a finalizar uma compra, sendo as principais delas:

  • Preço do produto ou serviço;
  • Descrição detalhadas dos itens à venda;
  • Formas de pagamento;
  • Dados sobre a entrega.

Tudo isso interfere na experiência do cliente e, portanto, será decisivo na fidelidade dele à marca.

É importante destacar que o comportamento-padrão do público de loja virtual é:

  • Entrar no site ou baixar o app da marca;
  • Colocar os itens desejados em um carrinho de compras virtual;
  • Fazer o pagamento quando a compra for finalizada.

Vale lembrar que existe a possibilidade de comprar pela Internet e retirar a mercadoria pessoalmente.

Porém, o mais comum é que o comércio eletrônico, considerando todo o percurso da venda, se incumba de fazer entregas por correios ou transportadoras privadas.

Bom, já demos o primeiro passo para criar loja virtual, que é entender o conceito desse modelo de negócio. Agora vamos conhecer as etapas para criar loja virtual.

11 etapas para criar loja virtual

Quer colocar a mão na massa e criar loja virtual? Então siga este passo a passo que  preparamos para você, amigo leitor.

Escolha o segmento em que pretende atuar

Caso você ainda não venda pela Internet, seja por marketplaces, redes sociais ou aplicativo próprio, a primeira atitude a ser tomada para criar loja virtual é escolher um nicho.

Para isso, analise o mercado e defina um segmento de atuação que seja promissor (eletrônicos, perfumaria, esporte, calçados, itens para lazer etc.).

Atualmente alguns setores estão em alta. Listamos abaixo os principais deles:

  • Brechós on-line: eles têm ajudado muitas pessoas a superar a crise econômica gerada pela pandemia. Neles, é possível vender roupas, sapatos, bolsas, móveis, utensílios domésticos usados, impulsionando a chamada “economia circular”, que, como o próprio nome sugere, faz circular itens de segunda mão;
  • Alimentação alternativa: a busca por uma alimentação saudável vem aumentando exponencialmente e isso se transforma em oportunidade quando se deseja criar loja virtual;
  • Infoprodutos: a realidade virtual está cada vez mais presente em nossas vidas. Por isso, cursos, livros e outras soluções digitais estão movimentando o e-commerce. Eis, portanto, mais uma alternativa para criar uma loja virtual.

Acompanhe as tendências de consumo

Para criar loja virtual, outra iniciativa importantíssima é observar o que tem sido mais requisitado pelo público-alvo. Tendo isso em vista, é preciso:

  • Apostar em abordagens alternativas dentro do nicho de atuação de forma a se destacar em relação à concorrência. Nesse sentido, questione-se: “o que posso trazer de novidade para os (potenciais) clientes?”;
  • Verificar a relevância do produto ou serviço que pretende comercializar — reflita se as pessoas pagariam por ele;
  • Avaliar se a manutenção das mercadorias é viável. Por exemplo, alimentos exigem uma entrega apropriada, além de cuidados especiais para que não estraguem. Você daria conta de administrá-los, assumindo um compromisso com esses detalhes?
  • Identificar-se com o ramo de maneira a promover um equilíbrio entre fazer o que gosta e arcar com as responsabilidades de um gestor;
  • Utilizar ferramentas como o Google Trends a fim de pesquisar o volume de buscas das palavras-chave referentes ao seu ideal de negócio. Se os resultados apresentarem uma crescente contínua, é sinal de que o nicho em que pretende atuar tem tudo para dar certo e seguir evoluindo.

Defina um nome para sua loja

Depois de escolher o ramo de atuação e entender as tendências de consumo, no processo de criar loja virtual, é importante definir um nome para a sua loja.

Ao fazer esse “batismo”, é importante ter em mente a ideia principal que está por trás da sua marca, além de optar por um nome que seja atraente e instigante.

No ramo da alimentação, há muitos trocadilhos interessantes por aí, como: “Sandueat”, “Faceboorguer” etc.

Uma vez definido o nome da marca, deve-se elaborar um logotipo com cores e fonte de texto que tenham a ver com a proposta do negócio.

É importante lembrar ainda que o nome escolhido deve ser fácil de lembrar. Sendo assim, evite termos, inclusive estrangeiros, que possam gerar dúvida na sua audiência.

Crie um CNPJ

Outro passo importante ao criar loja virtual refere-se à formalização do negócio. Para isso, deve-se abrir um CNPJ.

Muita gente acha que trabalhar “na informalidade” é mais lucrativo, porém, os rendimentos recebidos como pessoa física podem gerar uma tributação de até 27,5% do faturamento no imposto de renda.

Além do mais, abrindo um CNPJ, é possível garantir que a sua empresa atue conforme as obrigações legais; dentre elas, emitindo notas fiscais.

Há várias opções de cadastro disponibilizadas pela Receita Federal, que variam de acordo com a estimativa de faturamento e com a condição societária da empresa.

Uma companhia devidamente formalizada não só passa mais credibilidade aos clientes como também consegue vantagens em negociações com fornecedores e em linhas de créditos voltadas a empreendedores.

Faça o registro de um domínio

Domínio equivale ao endereço do seu website. Portanto, para que as pessoas identifiquem e acessem sua loja virtual, ele é imprescindível.

Existem dois tipos de domínio:

  • Os genéricos, representados por “.com”, “.net” e “.org”.;
  • Os territoriais, associados a países. Ex.: “br”, “us” e “ar”.

Ao criar loja virtual, quando for registrar o respectivo domínio, é importante considerar essas duas alternativas e pesquisar se o nome que você pretende dar a seu e-commerce está disponível.

Lembre-se de escolher um domínio que leve o nome da marca e tenha uma palavra-chave relacionada ao negócio.

O domínio deve ser curto, simples e de fácil memorização e não deve conter caracteres especiais, como cedilhas, acentos, hífens.

Quanto mais fácil for o domínio para o usuário, maiores serão as chances de ele acessar sua loja virtual.

Vale destacar que ter um domínio, além de facilitar as etapas da compra, permite a criação de contas de e-mails associadas a uma marca.

Isso acaba transmitindo mais profissionalismo e segurança ao público consumidor. No Brasil, uma empresa confiável para comprar domínios é a registro.br.

Instale um SSL

A preocupação com a segurança deve ser prioridade ao criar loja virtual, afinal, o usuário insere na plataforma informações pessoais importantes, como dados cadastrais e bancários.

O SSLSecure Socket Layer (Camada de Soquete Segura) é um certificado de segurança que protege (criptografa) os dados do cliente, impedindo que um hacker eventualmente acesse essas informações.

Ele é identificado ao lado do domínio da sua loja pela imagem de um pequeno cadeado, que informa o cliente de que o endereço é seguro.

  1. Defina os meios de pagamento

Quanto mais opções de pagamento sua loja on-line oferecer, maiores serão as chances de converter um usuário em cliente.

No e-commerce, é comum usarem boleto bancário, cartão de débito ou crédito — nestes casos, por meio de gateway de pagamentos —, PIX e transferência bancária.

Lembre-se sempre de que perder venda por não disponibilizar determinada forma de pagamento é furada.

Cadastre os produtos

As ferramentas de uma loja virtual geralmente oferecem a estrutura necessária para você montar e personalizar o seu negócio.

Sendo assim, só é preciso criar categorias e catalogar seus produtos. Você mesmo pode inserir o anúncio dessas mercadorias no sistema.

Ao cadastrar os produtos da sua marca, lembre-se de utilizar foto em alta resolução, descrição completa, além de uma aba para avaliações e comentários de clientes.

Escolha uma plataforma

A escolha da plataforma é outro passo importante ao criar loja virtual, pois é ela que os usuários vão acessar para conferir os produtos que estão à venda.

Por conta disso, a plataforma deve oferecer uma experiência de navegação excelente e isso engloba:

  • Boa navegabilidade;
  • Segurança de dados;
  • Design responsivo;
  • Carrinho de compras;
  • Filtros para busca de produtos;
  • Cupons de desconto.

Uma boa plataforma deve otimizar as operações do seu negócio, integrando-o a marketplaces, dando suporte técnico e possibilitando, enfim, uma gestão eficiente.

Dê a devida importância à logística

A questão logística da loja virtual deve não só garantir a satisfação do cliente, mas também facilitar o trabalho do gestor.

Duas opções que facilitam a logística são:

  • Correios: é a melhor alternativa para quem está começando. Porém, essa opção impõe um limite de dimensões e peso dos envios. Portanto, ela é indicada quando o volume de vendas ainda é baixo e as proporções dos produtos comercializados são pequenas;
  • Transportadora: essa opção não oferece limitações referentes a peso e dimensão de mercadorias. Além disso, o risco de uma transportadora entrar em greve é reduzido. A única desvantagem dessa alternativa diz respeito ao custo: ele pode não ser muito vantajoso para operações menores.

Divulgue a sua loja

De que adianta ter uma loja on-line e não fazer a divulgação adequada dela? Somente recorrendo ao marketing é que é possível atrair usuários e convertê-los em clientes.

Ao criar um plano de marketing para o seu e-commerce, leve em conta os seguintes canais de comunicação:

  • Mídias sociais: elas permitem não só divulgar a sua marca, mas manter um relacionamento estreito com os (potenciais) clientes;
  • Anúncios on-line: ferramentas como Facebook Ads e Google Ads ajudam a aumentar o fluxo de acessos à sua loja e converter clientes;
  • Blog (SEO): é importante divulgar conteúdos que resolvam algum problema do cliente. Dessa forma, quando ele for buscar uma palavra-chave relacionada à sua marca no Google, ele pode ser direcionado ao site da sua loja virtual;
  • E-mail: o envio de newsletter com promoções ou divulgação de produtos é muito promissor no contexto do e-commerce;
  • WhatsApp: com ele, cria-se (mais) um canal de comunicação com o cliente, de forma que ele entre em contato com a marca sempre que precisar de atendimento.

Quer vender on-line? Saiba como a AM3Shop pode te ajudar

A AM3 Soluções, referência na prestação de serviços em Tecnologia da Informação há mais de 10 anos, sem dúvida, não ia te deixar na mão no momento de criar loja virtual.

Com a AM3Shop, você monta sua loja on-line de forma integrada ao sistema de gestão e mantém seu e-commerce conectado aos principais marketplaces e redes sociais do momento.

A ferramenta permite fortalecer seu negócio na web e expandir a carteira de clientes da marca. Ou seja, contando com essa solução, você pode focar nas vendas, no bom atendimento e no marketing bem-feito, deixando a parte tecnológica por conta da AM3 Soluções.

Veja como o consumo on-line deu um boom

Ainda está em dúvida sobre montar ou não montar sua loja virtual? Bom, logo abaixo vamos reforçar o quanto o consumo on-line deu um boom.

Só nos três primeiros meses de 2021, o e-commerce brasileiro registrou um crescimento de 91,6% nas vendas.

Obviamente o distanciamento social imposto pela pandemia da Covid-19 contribuiu para esse aumento sem precedentes das vendas on-line.

Mas os consumidores modernos vêm mostrando uma preferência por novas tecnologias e pelas compras on-line.

Então, criar loja virtual, além de ser uma saída para a recessão, é uma alternativa e tanto para impulsionar a renda. Conheça os planos da AM3Shop e comece a vender on-line hoje mesmo. Até a próxima!