Marketing Direto: como montar uma estratégia eficiente e de baixo custo

O confinamento social imposto pela COVID-19 diminuiu consideravelmente as relações presenciais entre varejistas e clientes. Porém, graças às ferramentas digitais, é possível trabalhar o marketing direto e, consequentemente, manter sua empresa operando.

Dê play para ouvir o texto:

Pensando nisso, preparamos este artigo para você. Nele abordaremos, dentre outras questões: 

  • O que é marketing direto;
  • Ferramentas digitais: grandes aliadas no marketing direto;
  • 6 maneiras de fazer marketing direto na palma das mãos;
  • Como criar uma boa estratégia de marketing direto gastando pouco;
  • 5 vantagens do marketing direto. 

Vamos lá?

O que é marketing direto?

Quem nunca foi abordado, seja em casa, no trabalho ou em um salão de beleza, por uma consultora da Natura ou Avon que tinha em mãos um catálogo com produtos da marca? 

Esse contato direto entre (potencial) cliente e negociante ilustra bem a ideia do marketing direto. 

Segundo o Dicionário Aulete Digital, “marketing”, entre outros sentidos, significa “publicidade feita para favorecer a venda de um produto ou serviço, ou para influenciar o público favoravelmente em relação a uma ideia, pessoa, empresa etc.”. 

O marketing direto, por sua vez, de acordo com o mesmo dicionário, quer dizer “aquele que se baseia no contato direto entre cliente e fornecedor, por meio de mala-direta, telemarketing, internet, venda de porta em porta etc”.

É importante acrescentar que o marketing direto deve abranger um público predefinido, com o intuito de gerar resultados efetivos. Potenciais consumidores que já manifestaram interesse por seus produtos ou serviços estão incluídos nessa abordagem. 

Isso porque a função primordial do marketing é entender o mercado e os consumidores para criar relacionamentos duradouros e gerar lucro.

Com o mundo digital se mostrando cada vez mais necessário para a integração da sociedade, o marketing direto também precisou se adaptar a ele. 

As mudanças no marketing direto

Se antes da popularização da internet no Brasil, os consumidores estavam acostumados a receber conteúdos publicitários pelos Correios ou até pessoalmente, o e-mail marketing mudou esse comportamento.  

Com ele, utiliza-se o correio eletrônico como meio de comunicação das empresas com os clientes, poupando o varejista de investir em impressão e envio de folhetos ao público, por exemplo. 

Além do mais, o e-mail marketing permite que o relacionamento com o cliente se estreite, uma vez que, em redes sociais, por exemplo, as interações do público com a empresa tendem a ser mais superficiais e genéricas. 

Mídias sociais como Facebook e Instagram são um espaço para divulgar uma marca e captar clientes principalmente, mas um contato mais aprofundado pode se dar também pelo “WhatsApp marketing“.

Não estamos falando de um recurso disponibilizado pelo app, mas de uma estratégia que faz dele um canal a mais para comunicar em particular com o público e ainda divulgar lançamentos e promoções.  

No próximo tópico, iremos aprofundar essa questão, pois mostraremos como as ferramentas digitais podem ser grandes aliadas do marketing direto e, consequentemente, do sucesso do seu varejo. Continue com a gente!

Ferramentas digitais: grandes aliadas do marketing direto 

Uma pesquisa realizada pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil aponta que o smartphone é mais utilizado que o computador tradicional para acessar internet no Brasil.

Diante dessa realidade, entra em cena a importância de se pensar em mobile marketing. Em tradução livre, “mobile marketing” quer dizer, como o próprio nome sugere, marketing para celulares. 

Na prática o termo abrange todas as estratégias de marketing voltadas aos usuários de dispositivos móveis, como smartphones e tablets

Então, varejistas que apostarem nesse formato de marketing precisam se preocupar em adotar conteúdos com design responsivo, isto é, cujo layout se adapte a diferentes formatos de tela. 

Assim, a possibilidade de haver mais interação com os clientes, e potenciais clientes, aumenta. 

O objetivo primordial do mobile marketing, aliás, é melhorar a experiência dos consumidores à medida que campanhas e promoções forem enviadas a eles.

Esses envios tendem a aumentar o engajamento do público e consequentemente o crescimento do número de leads, das vendas e da fidelização dos clientes

Entendido o que é mobile marketing, uma dúvida que pode surgir é sobre como colocá-lo em prática. 

A seguir, mostraremos seis formas de fazer marketing direto voltado para usuários de dispositivos móveis

6 maneiras de fazer marketing direto na palma das mãos 

Quando pensamos nas ferramentas digitais como grandes aliadas do marketing direto, é preciso levar em conta que a maioria das pessoas usa, em seus smartphones, aplicativos, como WhatsApp, Facebook e Instagram.  

Dessa forma, é importante produzir conteúdos baseados nos recursos disponibilizados por esses apps

Assim, sua empresa provavelmente ganhará mais visibilidade e a captação de clientes será mais significativa

A seguir, iremos mostrar seis ações de mobile marketing para você adotar como estratégia e alavancar as vendas na sua empresa, especialmente no período da quarentena. 

Envio de SMS

Cumprindo a condição de consentimento da LGPD, ou seja, uma vez o cliente informando o número do celular à empresa e concordando em receber dela informes e promoções, o uso de SMS pode ser uma boa alternativa para o marketing direto. 

Geralmente o SMS deve conter apenas mensagens de texto e ser enviado a clientes e leads, com o intuito de: oferecer desconto, lembrar o vencimento de uma prestação, divulgar informações sobre o negócio e os produtos ou serviços oferecidos pela empresa. 

Interação no WhatsApp

Devido à facilidade de utilização do aplicativo e aos vários recursos que ele oferece, o WhatsApp representa um ótimo canal de atendimento ao cliente

Através do catálogo que o WhatsApp Business disponibiliza, por exemplo, é possível divulgar ao público as novidades e promoções da sua empresa.

Isso inclui a criação e divulgação de um cardápio digital (para o caso de food services), o que pode impulsionar as vendas no segmento. 

Realização de campanhas no Facebook

Os aplicativos da plataforma – Facebook, Instagram, WhatsApp e Messenger – tiveram 3 bilhões de usuários no primeiro trimestre de 2020

A expectativa é de que, terminado o confinamento, esse fluxo diminua. Mas, mesmo assim, vale a pena fazer campanhas de marketing nessa rede, porque seu público provavelmente está lá.

Nesse sentido, recorrer ao Facebook Ads é a melhor opção. Trata-se de um sistema de mídia paga da rede social que oferece grande variedade de formatos de anúncios.  

Criação de um app próprio

Durante a quarentena que estamos atravessando, especialmente o segmento de food service tem investido em aplicativos exclusivos.

Através deles, o cliente acessa o cardápio, escolhe os produtos de sua preferência, paga o valor do pedido e ainda recebe a refeição onde estiver. 

Ao oferecer essas facilidades ao público, provavelmente ele irá se lembrar da sua marca quando for pedir algo para comer.

Através do aplicativo próprio o gestor pode elaborar campanhas específicas para estimular o consumo nos dias de menos movimentação.

Uma grande vantagem do aplicativo próprio é a possibilidade de conhecer a fundo os hábitos dos seus clientes e assim elaborar estratégias mais certeiras como programa de fidelização através de pontos ou cashback, campanhas sazonais para estimular o consumo e uma construção de relacionamento que vai além do consumo.  

Ficou convencido de que contar com um app exclusivo pode colocar sua empresa em vantagem competitiva em relação a empreendimentos do mesmo ramo? 

A AM3 Soluções pode ajudar você nesse sentido. Conheça os serviços oferecidos

Inclusão de QR code em flyers ou embalagens de produtos 

O QR code é um código de barras que pode ser lido facilmente pela câmera de um dispositivo móvel. 

Uma vez feita essa leitura, o usuário é encaminhado ao site ou à rede social de uma empresa, possibilitando a aproximação dele com a marca.  

Divulgação de alertas no Waze

É possível fazer marketing direto em aplicativos como o Waze, que dão informações sobre rotas no trânsito. 

E o sucesso dessa estratégia é grande, porque os alertas são disparados quando o carro do potencial cliente está parado perto do estabelecimento em questão. 

Imagine que o consumidor tenha terminado o expediente e esteja no engarrafamento com fome. Caso ele se depare com um pop-up do seu food service, é possível que ele decida lanchar lá. 

Como criar uma boa estratégia de marketing direto gastando pouco

Conhecidas as diferentes maneiras de fazer o marketing direto usando ferramentas digitais, vamos mostrar como criar uma estratégia eficiente gastando pouco

1 – Descubra a persona do seu negócio

O primeiro passo para elaborar uma estratégia de marketing direto eficiente é criar a persona do seu negócio. 

A persona é um personagem fictício que representa o seu cliente ideal. Ela é criada a partir do agrupamento das principais características desse cliente ideal: gênero, idade, escolaridade, renda, hobbies e preferências em geral

Para levantar essas informações, uma boa medida é usar um software de CRM (Customer Relationship Manager ou Gestão de Relacionamento com o Cliente), que otimiza a relação com o cliente e registra os principais dados dele. 

Uma vez elaborada a persona, a campanha de marketing direto da sua empresa será conduzida pela linguagem mais adequada ao seu público, fazendo-o se identificar com o que você está oferecendo e impulsionando o consumo.

2 – Defina o objetivo

Em seguida, é necessário definir o objetivo da ação de marketing direto. Para isso, deve-se responder à pergunta: qual é o objetivo da interação com o público neste momento?

Algumas possíveis respostas a esse questionamento são: 

  • Lembrar os clientes de que, durante o isolamento social, seu restaurante, por exemplo, continua funcionando; nesta ocasião, por meio do sistema de delivery e da retirada dos pratos no balcão;
  • Anunciar ao seu público-alvo o lançamento de um produto ou serviço
  • Oferecer a seus leads um desconto na primeira compra;
  • Realizar promoção de alguns produtos em determinado(s) dia(s) da semana.

Feito isso, tão importante quanto contar com a persona, é escolher o melhor canal para se comunicar com ela. 

3 – Escolha o canal pelo qual você irá se comunicar com o cliente

Onde está o seu cliente? Facebook, Instagram, WhatsApp? É preciso escolher o canal pelo qual você irá realizar o marketing direto. 

O WhatsApp Business tem ganhado muitos adeptos. Caso você opte por utilizá-lo, o recurso do catálogo é uma boa opção. 

Para isso você precisa tirar fotos criativas e com boa resolução e escrever legendas atraentes, informando também os preços dos produtos expostos.

É importante lembrar que, ao enviar as mensagens, (o recurso do WhatsApp, “Nova transmissão”, é uma boa alternativa nesse sentido) deve-se atentar aos horários; nem muito cedo pela manhã tampouco muito tarde da noite. 

Isso porque, caso o cliente receba conteúdos publicitários durante esses períodos, é provável que bloqueie o contato da sua empresa.

4 – Segmente seus clientes

Outro ponto muito importante a ser considerado ao utilizar um estratégia de marketing direto é  segmentar os contatos que irão receber a publicidade. 

Afinal, provavelmente nem todo o seu banco de clientes vai se encaixar na ação da empresa em determinado momento. 

Uma maneira de convencer o cliente a realizar prontamente a ação proposta pela campanha de marketing direto é limitar o acesso à vantagem oferecida

Frases do tipo “promoção válida por 24 horas” e “as cinco primeiras pessoas que comentarem o post serão contempladas” ilustram bem essas estratégias com retorno imediato

Ciente dessas orientações, é importante testar a estratégia. 

5 – Teste sua estratégia de marketing direto

Antes disso, verifique se as ferramentas e os conteúdos cogitados para o projeto de fato poderão ter um bom alcance entre o público e gerar resultados satisfatórios. 

Daí encaminhe o material a uma pequena amostra de clientes e leads e teste os resultados

A melhor forma de medi-los é calculando o ROI (Retorno sobre o Investimento). Na prática, esse cálculo aponta quanto a empresa ganhou ou perdeu em seus investimentos, inclusive em uma campanha de marketing. 

Ele é feito a partir dos ganhos obtidos após determinado período de divulgação de uma campanha. Desses ganhos, deve-se descontar os custos dos produtos/serviços anunciados e do investimento na ação de marketing. 

Contar com o suporte do marketing direto em tempos de COVID-19 pode salvar o seu empreendimento. Isso sem gastar muito.

No último tópico deste artigo, iremos mostrar algumas vantagens do marketing direto. Fique com a gente! 

5 vantagens do marketing direto 

O grande diferencial do marketing direto consiste no envio de mensagens apenas a consumidores potencialmente interessados em determinada marca, como vimos ao longo deste artigo. 

Essa particularidade traz algumas vantagens à empresa que adota esse tipo de publicidade:

  • A comunicação mais individualizada e personalizada envolve mais o (potencial) cliente e tende a ser, portanto, mais eficaz;
  • O público-alvo está disposto a receber mensagens da empresa, sendo assim, a probabilidade de venda aumenta;
  • Como o investimento em marketing é mais focado, há uma tendência a reduzir gastos e, ao mesmo tempo, obter um bom retorno sobre o  investimento;
  • A mensuração dos resultados das campanhas de marketing direto é relativamente fácil de fazer, conforme mostramos no penúltimo tópico deste artigo; 
  • Quando realizado de forma digital, o marketing direto pode ser programado, o que poupa a empresa de empenhar muito esforço nessa ação.  

Principalmente neste período de confinamento que estamos enfrentando, o marketing direto se mostra fundamental. 

Uma vez que, pelo menos, lembra os consumidores de que determinada empresa continua funcionando apesar das mudanças operacionais decorrentes do isolamento social. 

A propósito, muitos restaurantes não paralisaram as atividades nesse período. E o marketing direto vem contribuindo para o êxito do setor. Para ajudar você a vencer a crise, preparamos um guia especial sobre gestão de food services. Clique aqui para baixá-lo.

Robson Lins

Bacharel em Administração pela Universidade Federal de Campina Grande, CMO na AM3 Soluções, apaixonado por cinema, música e tecnologia.

Deixe uma Resposta