Como vender on-line: o que você precisa saber para começar? 

A crise gerada pela pandemia do novo coronavírus provavelmente levou muitos empresários de lojas físicas a se perguntarem: “como vender on-line”?

Dê play para ouvir o texto:

De repente, comercializar produtos e serviços na internet deixou de representar um bônus à receita do varejo, passando a significar a sobrevivência do negócio

Diante desse novo cenário, os varejistas podem se deparar com várias dúvidas, como: o que é preciso fazer para começar a vender pela web? O investimento inicial é muito alto? Como criar meu e-commerce?

Para começar, vamos abordar três ações que devem ser realizadas antes de você começar a operar seu comércio eletrônico.

3 ações para pôr em prática antes de seu e-commerce começar a operar

Há três passos primordiais para criar uma estratégia de vendas on-line

  • Conhecer os principais atributos do seu público-alvo
  • Elaborar um perfil fictício do seu cliente ideal (persona);
  • Definir bem o que é preciso ser feito pela equipe que lhe dará suporte

Vamos aprofundar essas três questões?  

Conhecer seu público-alvo

Saber quais são as principais características do seu público-alvo, como idade, gênero, escolaridade, profissão, preferências, renda etc. é fundamental para se pensar em estratégias para captar potenciais clientes e mantê-los fiéis à sua marca

Conhecendo esse público, é possível abordá-lo através do canal certo e, mais do que isso, usando a linguagem adequada aos diferentes perfis que o compõem. 

Isso porque um mesmo produto ou serviço pode interessar consumidores diferentes, na medida em que atender necessidades distintas também. 

Por exemplo, se boa parte da sua clientela está na faixa etária de 60, apostar em campanhas no Instagram pode não ser uma boa ideia, pois a maioria dos usuários da rede social tem entre 18 e 25 anos

É fundamental levar em conta também a forma como seu público-alvo prefere realizar transações: via boleto? Transferência bancária? Depósito? 

O próximo passo para criar um plano de vendas on-line bem-sucedido consiste na criação da persona. Eis o que abordaremos no próximo tópico. 

Criar perfis hipotéticos de clientes ideais

Mapeando as principais características de seu público-alvo, é possível eleger perfis que representem os consumidores ideais para os produtos/serviços que seu varejo oferece

Esses perfis fictícios (personas) ajudam sua empresa a identificar potenciais clientes e investir em estratégias para dialogar com eles, atraí-los e captá-los. 

Além disso, uma vez conhecendo o (potencial) cliente ideal, sua equipe pode se capacitar para atendê-lo da melhor maneira possível. 

O terceiro passo para criar uma estratégia de vendas on-line refere-se a instruir corretamente sua equipe, de forma que cada colaborador entenda seu real papel e o desempenhe corretamente. 

Definir bem o papel de cada membro da equipe 

Quando se pensa em como vender on-line, é preciso considerar o apoio de profissionais que vão realizar a venda obviamente, mas também daqueles que irão cuidar do conteúdo do seu e-commerce, como design, parte tecnológica e marketing.

Afinal, um produto ou serviço costuma ser comprado pela internet quando atende a necessidade (ou desejo) do cliente. 

Para que isso aconteça, a experiência do usuário ao visualizar um anúncio na web ou acessar um site deve convencê-lo a comprar determinado item. 

Uma foto criativa, bem iluminada e com boa resolução aliada a uma ideia original e, por trás, um software com facilidade de interação pode resultar em uma venda. 

Quem nunca, ao fazer uma pesquisa no Google, foi surpreendido pelo anúncio publicitário de um produto, clicou na imagem destaca e acabou comprando-o?  

As vendas pela internet acontecem muitas vezes sem planejamento; enquanto o usuário está navegando despretensiosamente pela rede. 

Além das três práticas mencionadas neste tópico, ao se perguntar como vender on-line, é importante considerar também: 

  • Os investimentos necessários para começar a vender pela internet. Isso abrange desde a compra dos produtos que serão comercializados a despesas com suporte de TI, marketing etc;
  • Quem serão os fornecedores de mercadorias ou matérias-primas do seu e-commerce;
  • Quais vantagens você vai oferecer em relação à concorrência.

Atentando-se a essas questões antes de colocar seu comércio eletrônico para funcionar, chega o momento de fazer acontecer o seu negócio na internet. 

Para que isso ocorra e seu empreendimento virtual seja bem-sucedido, todos os processos do negócio, isto é, da acessibilidade do seu site ou aplicativo à entrega do produto ao cliente, devem acontecer da melhor maneira possível. 

Com o intuito de ajudá-lo nesse sentido, preparamos oito dicas para você obter sucesso no seu e-commerce, aprendendo desde já como vender on-line. Continue com a gente!

Também fizemos uma live sobre o tema. Confira:

 

8 dicas de como vender on-line e se destacar na web

Satisfazer as expectativas do cliente é fundamental para o processo de vendas e isso vale para as realizadas na web também.   

A fim de alcançar essa satisfação dos consumidores no universo digital, é imprescindível dar a devida atenção a alguns elementos-chave do mercado virtual, como o back office.

Ele representa a estrutura física que fica por trás do site de uma loja virtual e abrange: a logística da empresa, a gestão de pedidos, do estoque e da receita, a emissão de notas fiscais, etc.

É gerenciando bem o back office, portanto, que se torna possível garantir ao cliente que o produto adquirido será entregue dentro do prazo e seguindo determinadas especificações de troca ou devolução, por exemplo. 

Quer saber mais dicas sobre como vender on-line e se destacar da concorrência? Acompanhe as sugestões que daremos a partir de agora. 

Tenha um site ou aplicativo com acesso fácil

Todos os elementos que estiverem disponíveis no website ou app do seu empreendimento devem funcionar sem complicações, do contrário, os usuários podem até desistir de fazer determinada compra.   

Por exemplo, se a página demora muito a carregar, é provável que o cliente feche sua página e procure outra loja para realizar a compra. 

Outra condição que costuma afastar potenciais clientes refere-se à utilização de imagens malfeitas para ilustrar produtos à venda ou fontes ilegíveis para descrevê-los. 

Então, preocupe-se com a apresentação da sua loja virtual. Isso fará toda a diferença. 

Se seu segmento é food service, cadastrá-lo nos aplicativos de delivery de comida que são players de mercado, como iFood e Uber Eats, pode ser uma boa opção. 

Isso porque esses apps possuem muitos usuários, o que acaba dando mais visibilidade ao seu restaurante. Contudo, sua estratégia deve ser focada em trazer esses clientes para o seu aplicativo.

Para outros setores do varejo, aliar-se a um marketplace, como Mercado Livre e Magazine Luiza, também representa uma alternativa acertada, pois a marca terá um alcance maior entre o público, já que a maioria dos brasileiros que compra on-line usa essas plataformas

Monte sua loja virtual mesmo sem estoque 

Grandes e-commerces geralmente dispõem de um centro de distribuição próprio e, por conta disso, têm maior controle/agilidade de todos os processos da empresa.

Porém essa realidade não deve ser o parâmetro, pois pequenos empresários podem inaugurar um comércio eletrônico inclusive sem contar com um estoque próprio. 

Para isso, pode-se recorrer ao estoque do fornecedor e, uma vez tendo os produtos em mãos, despachar os itens para os clientes. 

Nesse caso, há de se pensar no investimento em deslocamento até o fornecedor e no alcance das suas vendas. Afinal, o frete para regiões muito afastadas pode afetar o preço do produto que você oferece, colocando-o em desvantagem no mercado. 

Essa lógica de vendas sem estoque próprio é conhecida como Just in Time e significa que mercadorias ou matérias-primas devem ser compradas somente na hora certa, isto é, quando houver real demanda por elas. 

Dessa forma, quando uma venda for realizada, você contata o fornecedor, compra o produto em questão e só então este será enviado para o cliente. 

Vale destacar que, para trabalhar com esse tipo de venda, é preciso escolher um nicho no mercado que apresente logística mais simples, em que os produtos sejam fabricados e repostos com rapidez. 

Outra opção de abrir um e-commerce mesmo não tendo estoque é o dropshipping.  

Nessa prática de vendas, o empreendedor não possui nenhum suporte logístico, ficando sob responsabilidade do fornecedor a preparação e o envio de produtos. 

O problema desse tipo de negociação consiste na dificuldade de encontrar fornecedores de confiança; na dúvida sobre o que de fato consta no estoque e, consequentemente, na demora na entrega do produto ao cliente final. 

Explore o valor do seu produto e seja verdadeiro

Os produtos ou serviços que seu e-commerce oferece são de fato necessários para os clientes e potenciais clientes? Se sim, explore os motivos que levam as pessoas a precisar desses itens. 

Para isso, use imagens, vídeos e os tantos recursos disponibilizados pelas redes sociais para mostrar objetivamente por que o seu produto ou serviço faz a diferença.

Ao mesmo tempo, preocupe-se sempre em cumprir o que prometeu, seja com relação a prazo, cobrança de frete, eficácia do produto. 

Lembre-se também de seguir a legislação prevista para lojas virtuais. 

Esteja presente em vários canais de comunicação

É necessário retornar os contatos dos clientes com prontidão, seja pelo próprio site da marca, pelas redes sociais, pelo WhatsApp, por um e-mail específico.   

Facilitar o acesso à sua loja virtual é imprescindível, porque o consumidor pode sentir necessidade de fazer contato antes, durante e após a venda realizada. 

Para que isso aconteça, é necessário que o site ou aplicativo da sua empresa esteja operando com o máximo potencial, pois um atendimento rápido e eficaz sempre faz toda a diferença. 

Uma alternativa boa para esta época de confinamento social é usar o WhatsApp Business como canal de comunicação e vendas. 

Dentre outros recursos, o aplicativo permite criar catálogos de produtos, inclusive cardápios digitais, e encaminhá-los a até 256 contatos ao mesmo tempo através da lista de transmissão. 

Nesses catálogos, é interessante divulgar fotos dos produtos que já constam no estoque do varejo físico. Isso evita o encalhe de mercadorias.   

Aposte em SEO

Provavelmente você já ouviu falar na sigla SEO (Search Engine Optimization ou Otimização para Mecanismos de Busca). Na dúvida sobre como vender on-line, essa abreviatura pode ser valiosa.

Na prática, trata-se de uma forma de aumentar o número de acessos orgânicos do seu site, ou seja, sem pagar por anúncios.

Por meio de um conjunto de estratégias, ele é colocado em posição de vantagem quando determinado tema é pesquisado em páginas de busca, como o Google.  

Ter um site bem posicionado nesses buscadores é fundamental para sua empresa ser vista e lembrada

Conte com um site seguro

Um dos fatores determinantes de compras no mercado digital é a garantia da segurança do cliente.

Afinal, quando opta por comprar algum produto na internet, ele irá informar os dados pessoais e bancários e, caso não sinta credibilidade no website, provavelmente vai desistir da compra

Então, é preciso contar com o serviço de proteção do dados, análise de vulnerabilidade e bloqueios contra ações de hackers, visando realizar operações seguras.

Realize campanhas de marketing atraentes

Explore os recursos dos meios digitais para captar e fidelizar seu público consumidor. 

Por exemplo, para os clientes que aceitaram receber anúncios e informações da sua marca, você pode enviar WhatsApp avisando de uma oferta que terá duração de dois dias apenas. 

Se seu segmento for o alimentício, mandar mensagens antes do horário do almoço ou do jantar informando o cardápio do dia é uma boa estratégia. 

Outra medida vantajosa para melhorar a reputação da sua empresa é colher depoimentos de clientes a respeito dos seus produtos e divulgá-los nos seus canais virtuais de comunicação.

Dê atenção ao pós-venda

Levar em conta a opinião dos consumidores sobre o produto ou serviço que adquiriram, o atendimento que receberam durante a venda e o recebimento do item é fundamental. 

Esse tipo de feedback relatando a experiência do cliente facilita a otimização do processo de vendas, que deve acontecer constantemente no seu e-commerce

É no pós-venda que se pode realizar ações como o oferecimento de desconto a produtos semelhantes ao da primeira compra do cliente, por exemplo. 

Então, dar a devida atenção ao pós-venda pode trazer mais lucro à sua empresa

E aí, essas oito dicas nortearam sua colocação no mercado digital?

Lendo este artigo, acreditamos que agora você já sabe como vender on-line. Que tal uma ajudinha? Conheça o AM3Shop, uma plataforma para você vender on-line e de forma totalmente integrada com as redes sociais e ao sistema de gestão da AM3 Soluções.