Você saberia dizer quanto vale a sua empresa citando números atualizados? Bom, para dar essa resposta com precisão e segurança, é necessário entender como calcular valuation.

Mas o que vem a ser valuation? Vamos descobrir ao longo deste guia, no qual abordaremos:

  • Valuation: entenda o que é;
  • Por que é importante calcular valuation;
  • Como calcular valuation;
  • Pre-money valuation e Post-money valuation: quais são as diferenças;
  • Valuation na prática: conheça a fórmula para calcular o valuation e um exemplo.

Valuation: entenda o que é

Em uma tradução literal, “valuation” quer dizer “avaliação”. No contexto corporativo, ele ganha o sentido de “avaliação de empresas” e tem como objetivo primordial calcular o valor de uma empresa.

Sabendo como calcular valuation, é possível estimar o valor real de um negócio e o retorno de um investimento em suas ações.

Quando falamos em “valor real“, estamos nos referindo aos ativos da organização, que podem ser: um imóvel, uma ação ou ainda o seu valor global.

Então, de antemão, podemos destacar duas funções primordiais do valuation.

  1. Caso o empreendedor coloque sua empresa à venda, o valuation permite que ele cobre um preço justo;
  2. O investidor, por outro lado, usando o valuation, pode fazer projeções dos valores das ações de uma empresa e decidir se vale a pena ou não apostar na marca.

É importante destacar que, antes de pensarmos em como calcular valuation, devemos estar conscientes de que ele é baseado também em estimativas futuras.

Dessa forma, os resultados podem ser diferentes do que os cálculos previam. É preciso ter em mente que o valuation não é como “2+2=4”. Há questões subjetivas a considerar.

Então, caso um investidor queira investir em uma empresa, ele não deve usar somente o valuation como critério de avaliação do negócio; ele precisa recorrer a outros tipos de análise.

Por que é importante calcular valuation?

A fim de entendermos a importância de saber como calcular valuation, vamos a um exemplo prático?

Enquanto consumidor de um supermercado, você pagaria R$ 100 por um pacote de macarrão? Provavelmente não.

Ao avaliar uma empresa com o intuito de comprá-la ou investir em suas ações, é mais que importante saber o quanto de fato ela vale, não é mesmo?

Afinal, se a gente costuma comparar preços até de itens do varejo, na hora de investir um capital considerável, esse cuidado deve ser redobrado.

Voltando ao exemplo do macarrão, como a gente sabe que R$ 100 seria um preço abusivo para esse produto?

Porque a gente observa quanto é cobrado por ele em diferentes estabelecimentos. Além disso, analisando mais profundamente, avalia qual é o custo de produção desse item.

Ao levar em conta essas questões, o consumidor descobre se determinado produto está sendo vendido por um preço justo ou fora do mercado.

Ao fazer essa comparação de preços na tentativa de identificar o valor justo de uma mercadoria, o consumidor está fazendo uma espécie de valuation.

Comprar um produto pagando um preço justo (ou abaixo do praticado no mercado) gera uma economia de capital.

No mercado empresarial também é assim. Se há duas empresas que operam no mesmo segmento e têm históricos semelhantes, o ideal é investir naquela que oferece um preço melhor.

Assim, é possível ter uma vantagem na compra e ainda oferecer dividendos atraentes a potenciais investidores, o que tende a valorizar a marca a longo prazo.

Vale destacar que comprar a ação de uma empresa por um valuation caro devido a especulações pode ser muito perigoso.

Isso porque o investidor pode acreditar em projeções que nunca vão acontecer.

Ao avaliar uma empresa para investir, é fundamental considerar:

  • Se ela vem praticando uma boa gestão ao longo do tempo;
  • Qual é a rentabilidade (e a expectativa de crescimento constante) da marca;
  • Qual o valor que a empresa entrega aos clientes.

Com o que abordamos neste tópico, podemos concluir que dois grandes beneficiários do cálculo do valuation são os empreendedores e os investidores.

Como calcular valuation?

Há várias maneiras de calcular o valuation de uma empresa; seja pela renda do negócio, pelos ativos e pelo mercado. A seguir, iremos mostrar as principais delas.

Método do Fluxo de Caixa Descontado

Na dúvida sobre como calcular valuation, vale a pena dar uma atenção especial ao método do Fluxo de Caixa Descontado.

A expressão tem origem no inglês (Discounted Cash Flow — DCF) e representa uma metodologia bastante precisa, especialmente se comparada a outros métodos, quando se pretende avaliar um negócio.

Por outro lado, ao escolher como calcular o valuation da sua empresa, o Fluxo de Caixa Descontado pode ser a forma mais complexa, isso se a empresa não tiver com suas movimentações financeiras (receitas, despesas e investimentos) registradas devidamente.

O propósito principal dessa metodologia é analisar o valor da empresa a partir dos lucros que ela pode gerar para seus sócios no futuro.

Mas como calcular o valuation usando o Fluxo de Caixa Descontado? Bom, para isso, é preciso seguir os três passos que iremos explorar a seguir.

  1. Calcule o fluxo de caixa histórico

É fundamental calcular o fluxo de caixa dos últimos anos da empresa.

Lembrando que o fluxo de caixa deve levar em conta:

  • Os valores que entram (receitas) e saem (despesas) da empresa;
  • Os impostos a serem pagos;
  • Quanto do capital arrecadado é investido pela organização;
  • O resultado final, ou seja, ao longo do ano, o negócio apresentou lucro ou prejuízo.

A partir desses resultados é possível analisar o quanto a empresa é capaz de gerar aos seus sócios e investidores.

  1. Projete o fluxo de caixa para os próximos 5 ou 10 anos

O segundo passo é, a partir da análise do fluxo de caixa histórico, projetar as finanças para os próximos 5 ou 10 anos.

Para fazer essa projeção, é fundamental levar em conta o comportamento do setor financeiro da companhia nos últimos anos.

Por exemplo, se as despesas aumentaram cerca de 4% ao ano e as receitas caíram aproximadamente 1,5%, esses são os parâmetros que devem ser utilizados para a projeção.

É importante destacar que, caso no histórico haja ocorrências isoladas e/ou incomuns, como uma multa inesperada ou um gasto emergencial, o ideal é desconsiderá-las.

Dessa forma, a projeção do fluxo de caixa para os próximos 5 ou 10 anos será pautada em referências estáveis e realistas.

  1. Estime a taxa de desconto

Este é o momento de calcular a taxa de desconto, que irá situar o fluxo de caixa da empresa no momento presente. É essa ação inclusive que dá o nome ao método — Fluxo de Caixa Descontado.

A taxa de desconto deve levar em conta os riscos da atividade desempenhada pela empresa, além das possibilidades de rendimento.

Por exemplo, se um empreendedor consegue um retorno maior investindo em ações de determinada empresa, por que ele deveria arriscar um capital em uma marca que rende menos?

Outra questão com que o investidor deve se preocupar aqui se refere ao porte, a uma eventual falta de liquidez da empresa e ao quanto ela é sólida no mercado.

Com o intuito de simplificar o entendimento, para encontrar o valuation da empresa usando este método, é preciso somar todos os fluxos de caixa e subtrair as taxas de desconto.

Veja a seguir outra forma de calcular o valuation da sua empresa.

Método do Valor Patrimonial

Utilizar a metodologia Fluxo de Caixa Descontado é muito pertinente para empresas que estão obtendo lucro.

Mas e as empresas que não estão com todas as contas em dia, o valuation delas será nulo e, portanto, não vale a pena investir nesses negócios? A resposta é: vale a pena, sim!

Porém, para estimar o real valor dessas companhias, é preciso recorrer a métodos diferentes, como o Valor Patrimonial do negócio.

Por meio dele, é possível calcular o valor dos ativos tangíveis e intangíveis da marca.

Ativos tangíveis são aqueles que podem (literalmente) ser tocados, por exemplo:

  • Imóveis;
  • Veículos;
  • Maquinário.

Enquanto ativos intangíveis são representados por aquilo que poderá ser convertido em recursos financeiros, como contas a receber.

No cálculo do valor patrimonial da empresa, é preciso considerar também os passivos, que podem ser:

Tendo em mãos os valores dos ativos e passivos, chega-se à fórmula que dará o valor patrimonial do negócio:

Valor patrimonial = Ativos – Passivos

Método Múltiplos de Mercado

Como calcular valuation de uma startup, que geralmente não dispõe de muitos ativos nem apresenta um padrão de lucro?

Nesse caso, a solução é utilizar múltiplos, isto é, avaliar empresas semelhantes que atuam no mesmo segmento do mercado.

Alguns parâmetros que podem ser analisados aqui são:

Para saber como calcular valuation utilizando essa metodologia, é preciso que a pessoa tenha um conhecimento razoável do mercado em que a companhia está inserida.

E aqui cabe um adendo: quando se trata de uma startup, encontrar uma empresa parecida pode ser bem difícil e obter dados de transações recentes, mais difícil ainda.

Pre-money valuation e Post-money valuation: quais são as diferenças

Você pretende atrair a atenção de potenciais investidores e levantar capital para a sua marca?

Então, é preciso conhecer os termos Pre-money valuation e Post-money valuation, que estão relacionados a processos de arrecadação.

Vamos entender cada um?

  • Pre-money valuation diz respeito ao valor estimado da empresa antes de receber investimento;
  • Post-money valuation, por outro lado, corresponde ao valor da empresa logo depois de conseguir um investimento.

A partir desse raciocínio, chegamos à seguinte fórmula:

Pre-money valuation + Investimento = Post-money valuation

A importância de saber a diferença entre os dois

Conhecer a diferença entre esses valores é fundamental para saber o percentual da companhia que ficará com os investidores.

Para chegar ao percentual exato, há duas fórmulas que podem ser usadas. A do Pre-money valuation é: Investimento / (Pre-money valuation + investimento)

A do Post-money valuation é: Investimento / Post-money valuation

Para não restar dúvidas ao aplicar as fórmulas, vamos imaginar um exemplo hipotético?

Um investidor aplica R$ 500 mil em uma marca cujo Pre-money valuation é de R$ 2 milhões. Qual é o percentual dele na empresa?

% = 500.000 / 2.000.000 + 500.000 → 0,2 → 20%

Se o investimento se referir ao Post-money valuation, o percentual passa a ser outro. Acompanhe!

% = 500.000 / 2.000.000 → 0,25 → 25%

Repare que há uma diferença de 5% entre os valores, o que impacta diretamente o bolso do investidor que apostou na companhia.

Valuation na prática: conheça a fórmula para calcular o valuation e um exemplo

A pergunta que esteve presente ao longo de todo este guia foi “como calcular valuation”, não é mesmo?

Pois bem, tendo em vista o método do Fluxo de Caixa Descontado, podemos usar a seguinte fórmula:

FCD = FC1 / (1+r)1  + FC2 / (2+r)2

Sendo:

FCD: são todos os Fluxos de Caixas Descontados que a empresa deverá produzir futuramente.

FCX (em que X = 1, 2, 3 etc.): representa o fluxo de caixa para determinado ano.

r: é a taxa de desconto na forma decimal. Trata-se basicamente do % de lucro anual desejado para a empresa.

Vamos entender esse cálculo na prática?

Imagine que sua empresa produza um fluxo de caixa de R$ 100 mil por ano. E a previsão de crescimento anual, com base em análise feita de anos anteriores, seja de 5%, o que dará R$ 105 mil.

Suponha que a taxa de desconto pretendida seja de 15%. Aplicando na fórmula, teremos:

FCD = 100.000 / (1+0,15)+ 105.000 / (1+0,15)2

FCD = 98.522 + 101.941

FCD = 200.463

Esse seria o valor máximo que um potencial investidor deveria pagar pela sua empresa.

Ficou claro como calcular o valuation de uma empresa? Você pôde perceber, ao longo deste artigo, que essa tarefa é um pouco complexa e que leva tempo, empenho e extrema atenção.

Por conta disso, vale muito a pena contratar um consultor de negócios para te ajudar nessa missão.

De qualquer forma, demos aqui ao menos uma noção de como calcular valuation, não é mesmo? Outro tema que pode complementar este guia diz respeito ao balanço patrimonial. Clique aqui e mergulhe numa leitura pra lá de especial. Até a próxima!