Como anda a saúde financeira do seu negócio? Será que o momento é ideal para investir e inovar? Ou o melhor a se fazer é segurar a onda e cortar gastos? Para responder essas questões você precisa saber o que é Balanço Patrimonial e como esse relatório vai te ajudar a tomar decisões estratégicas.

Abordaremos também qual é a importância do Balanço Patrimonial, quando e como realizá-lo e os tipos de conta do patrimônio líquido. Não dá para perder, não é mesmo? Então, siga com a gente.

O que é Balanço Patrimonial?

Balanço Patrimonial (BP) é um dos principais relatórios de gestão de uma empresa, tendo em vista que ele traz uma visão 360º do caixa do negócio e seus bens como um todo.

Junto com a Demonstração do Resultado do Exercício (DRE), que mostra se as atividades de uma companhia estão gerando lucro ou prejuízo em determinado período, o Balanço Patrimonial permite:

O Balanço Patrimonial, também conhecido como “balanço contábil”, representa ainda a demonstração financeira mais importante de uma empresa.

Isso porque ele apresenta todos os bens, investimentos, fontes de recursos, direitos e obrigações da organização.

Então, ao definirmos o que é Balanço Patrimonial, precisamos ter em mente que se trata de uma análise bem real da saúde financeira do empreendimento, identificando o momento mais oportuno para inovar e investir ou reduzir gastos.

Vale lembrar que, para gerar um BP confiável, é preciso que a documentação do fluxo financeiro da empresa seja precisa e organizada.

Nesse sentido, contar com um bom ERP é muito vantajoso, porque ele otimiza a gestão financeira do negócio, por meio do controle do estoque, da movimentação do caixa etc.

Além de saber o que é Balanço Patrimonial, é importante escolher o período mais adequado para elaborar esse documento.

Bom, não há uma regra rígida que estabeleça uma data para a criação do BP. Porém, o ideal é fazer o documento a cada 12 meses, pois as empresas devem repassar suas informações financeiras conforme o exercício social, que coincide com o calendário civil (de 1º de janeiro a 31 de dezembro de cada ano), segundo a Lei 6.404/76.

Dentre as informações que precisam constar no Balanço Patrimonial estão:

  • Balanço Patrimonial Ativo: engloba os investimentos financeiros, títulos públicos e privados, além de direitos, aplicação de recursos e bens da empresa;

Sendo que os bens equivalem a tudo que possui uma função no negócio (ex.: máquinas, veículos etc.). Já os direitos correspondem a quantias que dependem de terceiros (ex.: contas a receber).

  • Balanço Patrimonial Passivo: diz respeito às obrigações financeiras da companhia — seja com governo, fornecedores e colaboradores;
  • Patrimônio líquido: trata-se do capital investido pelos sócios e as reservas financeiras.

Para entender melhor o conceito do patrimônio líquido, imagine a seguinte situação: se o ativo é maior do que o passivo em um período, a diferença entre eles é dividida entre os sócios.

Agora que já sabemos o que é Balanço Patrimonial, partiremos para a segunda parte deste guia, na qual falaremos sobre a importância do BP. Quer ficar por dentro? Então, siga com a gente!

Por que devo fazer o Balanço Patrimonial na minha empresa?

Como pudemos observar até agora, o Balanço Patrimonial equivale a tirar um raio-x do setor financeiro do seu negócio em dado momento.

Ao analisar o BP, você consegue acompanhar o percurso do dinheiro na sua empresa e entender as necessidades que ela apresenta no momento.

A função primordial do Balanço Patrimonial é compreender de onde vêm e para onde vão os recursos financeiros da empresa.

Com um entendimento mais aprofundado do que é Balanço Patrimonial, o gestor consegue tomar decisões com mais embasamento e confiança, e os resultados do negócio tendem a se aperfeiçoar cada vez mais.

O Balanço Patrimonial permite ainda:

  • Fazer planejamentos estratégicos mais consistentes, porque não dá para planejar muita coisa em uma empresa sem a exata noção da área financeira;
  • Realizar a administração tributária, avaliando, a partir dos números apresentados, quanto deve ser pago em taxas e o que pode ser reduzido;
  • Informar possíveis investidores dos lucros potenciais da sua marca;
  • Observar a evolução econômica do negócio e pautar ações futuras nos comportamentos que foram bem-sucedidos;
  • Prestar contas aos stakeholders da companhia.

Essas ações na certa trariam muitos ganhos à sua marca, não é mesmo?

Como realizar o Balanço Patrimonial em 4 passos 

Como vimos, o Balanço Patrimonial é composto basicamente de três informações principais: ativos, passivos e patrimônio líquido.

Sabendo disso, é importante entendermos como elaborar esse documento. É o que mostraremos a partir de agora.

1 – Defina o período para fazer o BP

O primeiro passo é o mais simples de todos: escolher o intervalo de tempo para fazer o Balanço Patrimonial da empresa.

Geralmente, esse período é de seis meses a um ano.

2 – Faça o levantamento das movimentações financeiras da empresa

Aqui é preciso reunir todo o fluxo financeiro do negócio referente ao período escolhido para fazer o BP.

Para facilitar esse processo, podemos dividir as movimentações financeiras em três:

  1. Patrimônio ativo: abrange todos os bens e direitos da empresa, como já mencionamos (ex.: saldo bancário, estoque, contas a receber etc.);
  2. Patrimônio passivo: envolve todas as obrigações da companhia, como aluguel, contas de água e luz, impostos, vencimentos dos colaboradores;
  3. Patrimônio líquido: diferença entre ativos e passivos, representando os recursos que sócios e acionistas possuem no negócio.

O valor final, seja ele negativo ou positivo, será integrado como patrimônio da empresa.

3 – Classifique as contas patrimoniais

Caso o saldo do cálculo feito seja negativo, ou seja, o patrimônio passivo foi maior que o patrimônio ativo, esse resultado será incorporado ao patrimônio por meio de uma conta de prejuízos acumulados.

Por outro lado, caso o saldo seja positivo, ele deve ser incluído na reserva de lucros da empresa.

Daí, o ideal é que, posteriormente, a partir do planejamento estratégico da equipe, essas quantias sejam aplicadas de forma a impulsionar o negócio.

Ambas as contas facilitam a apuração do Balanço Patrimonial e a organização dos resultados.

4 – Mantenha o Balanço Patrimonial atualizado

Depois de apurar quais são os dados necessários ao BP, é fundamental acompanhar e atualizar o documento.

Assim, será possível ter uma visão panorâmica de todas as movimentações financeiras e melhorar a gestão do negócio.

O ideal é fazer essa atualização todo mês, pois deixar para reunir todas as informações que devem constar no Balanço Patrimonial de uma vez só pode ser muito trabalhoso.

Imagine um supermercado, por exemplo. Realizar o lançamento dos itens em estoque já dá um megatrabalho.

Some a isso outras variáveis que fazem parte da realidade do setor, como: valores pagos a colaboradores e fornecedores, contas mensais, veículos de entregas, manutenção de equipamentos etc.

É de fato muito importante não elaborar todo o BP em uma única empreitada, porque esse documento equivale a uma das principais declarações financeiras de uma empresa.

Caso você ainda não tenha feito o Balanço Patrimonial da sua empresa, converse com o seu contador.

Bom, já no primeiro tópico deste guia, que explica o que é Balanço Patrimonial de fato, vimos que o patrimônio líquido é um dos componentes mais importantes desse relatório.

Por conta disso, a seguir iremos aprofundar o tema, mostrando inclusive os tipos de contas que formam o patrimônio líquido.

Patrimônio líquido: entenda o que ele representa

Quando esclarecemos o que é Balanço Patrimonial lá no início deste artigo, mostramos que o patrimônio líquido deve constar nesse documento.

Recapitulando o conceito de patrimônio líquido, podemos dizer que ele representa o cálculo da diferença entre os ativos e os passivos do negócio. Isto é, ele dá a dimensão dos bens e direitos da empresa em relação a suas obrigações financeiras.

De maneira geral, quando falamos em patrimônio líquido, na verdade estamos nos referindo à riqueza de uma organização, ou seja, àquilo que pertence aos sócios ou acionistas do negócio.

Fórmula para calcular o patrimônio líquido

Há uma fórmula muito simples para calcular o patrimônio líquido de uma empresa:

PL = Ativos – Passivos

Vamos usar um exemplo hipotético para realizar esse cálculo?

Digamos que os ativos da sua empresa, que abrangem imóveis, máquinas, estoque, equipamentos etc., totalizem R$ 200 mil.

Por outro lado, os passivos, que envolvem pagamento a fornecedores e colaboradores, quitação de impostos, além das contas que mantêm a companhia funcionando, somam R$ 120 mil.

Aplicando na fórmula, teremos: PL = 200.000 – 120.000 / PL = 80.000

Então, o patrimônio líquido da sua marca é R$ 80 mil.

À medida que vamos explorando mais a fundo o conceito de patrimônio líquido, percebemos que ele é composto por um grupo de contas. E é sobre elas que iremos falar a partir de agora.

Contas que compõem o patrimônio líquido

Capital social, ações em tesouraria, Patrimônio líquido negativo. Você já ouviu falar nessas expressões? Vamos entender o que elas (e algumas outras contas) representam no contexto do patrimônio líquido.

Capital social

O capital social nada mais é do que todos os recursos injetados pelo titular, pelos sócios e acionistas na fundação (e posteriormente manutenção) da empresa.

O valor do capital social deve levar em conta o montante necessário para o período até o negócio apresentar lucros. Pois, a partir desse momento, os clientes é que passam a manter a receita da empresa.

A propósito, o conceito de capital social apresentado pelo Sebrae reforça essa ideia.

É importante destacar que as regras que determinam os valores exigidos de capital social variam de acordo com a natureza jurídica da empresa.

Por exemplo, um empreendedor que vai abrir uma Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (Eireli) deve dispor de um capital social que corresponda a cem vezes o valor do salário mínimo vigente.

Essa exigência evita que, em caso de falência, fornecedores e colaboradores deixem de receber o que lhes é de direito.

Reservas de capital

As reservas de capital, que também fazem parte do patrimônio líquido, são formadas por valores recebidos pela empresa — seja dos sócios ou terceiros — que não estão relacionados ao resultado do negócio.

Ou seja, essas quantias não se referem a prestação de serviços nem venda de produtos pela empresa.

Para entender melhor essa subconta do patrimônio líquido, citaremos dois exemplos:

  • Doações: terrenos recebidos de prefeituras para novos (e promissores) investimentos no município;
  • Incentivos fiscais obtidos pelo governo.

Ajustes de avaliação patrimonial

Os ajustes de avaliação patrimonial equivalem a uma correção/atualização dos valores de ativos e passivos em relação ao valor justo.

Sendo que esse valor justo é determinado geralmente por evidências baseadas no mercado e pelo aval de profissionais qualificados no assunto.

Uma vez definido o valor justo, um ativo pode ser trocado em negociação entre duas partes independentes.

Por outro lado, no momento de pagamento de um passivo, o valor justo serve para redefinir o preço dessa liquidação.

Ações em tesouraria 

Outro elemento do patrimônio líquido são as ações em tesouraria. A expressão corresponde às ações da empresa que estão sob sua própria posse.

Elas podem já ter sido oferecidas a investidores na Bolsa de Valores ou ainda recompradas pela empresa.

Por mais que permaneçam durante certo período sob a posse da empresa, essas ações podem ser disponibilizadas ao público futuramente.

Patrimônio líquido negativo

Uma situação muito temida e de fato desanimadora em uma empresa é quando os valores das obrigações superam a soma de todos os ativos do negócio.

Em suma, com o patrimônio líquido negativo, os passivos da companhia são maiores que os ativos.

Quando isso acontece, é sinal de que a organização vem passando por decisões malsucedidas e pode entrar, a qualquer momento, em pedido de recuperação judicial, a fim de evitar uma falência.

Vamos finalizando este guia com a real expectativa de que as abordagens sobre o que é Balanço Patrimonial e qual a sua importância possam ajudá-lo na gestão da sua empresa.

Que tal aplicar imediatamente o conceito do que é Balanço Patrimonial no seu negócio? Para facilitar esse processo, separamos um material superinteressante sobre relatórios gerenciais. Clique aqui para conferir e obter mais sucesso com o seu empreendimento.