4 metodologias ágeis que você precisa conhecer

Nos sistemas mais tradicionais de gestão de projetos, as etapas de trabalho geralmente são seguidas de forma rígida. Assim, um novo ciclo só começa quando o anterior estiver finalizado. As metodologias ágeis surgem justamente para melhorar essa condição.

Dê play para ouvir o texto:

Quer saber por quê? Continue lendo este artigo. Aqui abordaremos as principais metodologias ágeis utilizadas atualmente. São elas:

  • Scrum
  • Smart
  • Kanban
  • Lean

Inicialmente, é imprescindível entendermos o conceito das metodologias ágeis. Vamos juntos?

O que são metodologias ágeis?

As metodologias ágeis são conjuntos de práticas que representam uma alternativa à gestão de projetos tradicional e têm como função otimizar o processo de desenvolvimento de um produto ou serviço

Elas foram produzidas a partir do Manifesto Ágil, que é um documento idealizado e criado por desenvolvedores no qual constam quatro valores elementares:

  1. Priorizar indivíduos e interações em vez de processos e ferramentas;
  2. Valorizar mais um software em funcionamento do que uma documentação muito abrangente;
  3. Dar preferência à colaboração do cliente no lugar de negociação de contratos extensos;
  4. Favorecer as respostas às mudanças em vez de seguir um plano rígido.  

É importante destacar desde já que as metodologias ágeis não significam ausência de planejamento, de disciplina, de processos nem de documentação, mas sim uma mudança do modus operandi

Optando pelas metodologias ágeis, é possível fazer entregas mais rápidas e frequentes, conforme forem surgindo novas necessidades do cliente. 

Além do mais, a cada novo ciclo do processo, é entregue uma fração do produto/serviço solicitado, fração essa que já apresenta uma aplicabilidade. 

Para ilustrar essa situação, vamos pensar em uma situação hipotética?

Exemplo prático

Imagine que você tenha se mudado para um novo imóvel e queira colocar uma cortina em um dos cômodos para minimizar os ruídos e a luminosidade que vêm de fora.    

Ao entrar em contato com a costureira, ela informa que a peça costuma levar até três meses para ficar pronta. 

Porém, a profissional faz uma proposta atraente: caso a encomenda da cortina seja confirmada, você receberá um blecaute dois dias depois do pedido. 

Dessa forma, poderá desfrutar das principais funcionalidades do produto até que ele seja entregue na íntegra posteriormente. Você ia gostar da proposta, certo?

Do mesmo jeito acontece com o setor da Tecnologia da Informação

Com a demanda cada vez maior e mais urgente por diferentes tipos de softwares de gestão, de projetos etc., atrasos na entrega de soluções aos clientes começaram a surgir. 

A alternativa para essa demora foi a criação das metodologias ágeis. 

Com elas, o cliente pode usar alguns recursos do aplicativo que encomendou da empresa de tecnologia mesmo sem ele estar operando na versão completa. 

Posteriormente, à medida que necessidades do cliente e dos usuários forem surgindo, o software vai evoluindo. 

Do contrário, caso o produto final fosse entregue somente quando estivesse concluído, e não seguisse os princípios das metodologias ágeis, antes mesmo de ser utilizado, já poderia estar obsoleto.

Isso porque a tecnologia em tempos de Indústria 4.0 avança a altíssima velocidade.

Condições necessárias às metodologias ágeis

Antes de finalizar este primeiro tópico, é fundamental levar em conta que, para as metodologias ágeis apresentarem resultados efetivos, algumas condições são necessárias. 

Uma delas diz respeito ao projeto em questão ser conduzido por uma equipe enxuta e autogerenciável

Esse time provavelmente será composto de colaboradores do nível sênior, atuará de maneira multidisciplinar e irá se comunicar por meio de um mesmo canal, com o intuito de otimizar todas as operações envolvidas no projeto. 

Assim, é possível entregar aos clientes soluções com bastante qualidade e em tempo recorde, o que seria praticamente impossível caso membros da equipe não atuassem com “sentimento de dono” diante das próprias demandas.  

No próximo tópico, iremos abordar as quatro principais metodologias ágeis utilizadas atualmente. A primeira delas será o Scrum. Continue com a gente!

4 metodologias ágeis que vão otimizar a gestão dos seus projetos 

Agora iremos conhecer quatro principais metodologias ágeis usadas na atualidade: Scrum, Smart, Kanban e Lean. Vamos a elas?

Scrum

Trata-se de um framework, isto é, uma estrutura-base com ferramentas, guias, sistemas e componentes, enfim, que auxilia o especialista de TI no desenvolvimento de diversas soluções

Das metodologias ágeis, o Scrum exige que a equipe envolvida seja dividida em três papéis que, juntos, formam o chamado scrum team. Essas funções são:

  • Product owner: em tradução literal, o termo significa “dono do produto”. Como o nome sugere, quem assume esse papel é incumbido de gerenciar o blacklog do produto;

Mas o que vem a ser blacklog do produto? A expressão refere-se ao conjunto de características e funcionalidades que o produto deve ter.

Portanto, podemos concluir que o product owner atua como o representante do cliente na equipe. 

  • Scrum master: dentro da equipe, o colaborador que assume essa função é o responsável por disseminar o Scrum pela empresa, assegurando que ele esteja sendo aplicado da forma correta;

Dessa forma, cabe ao scrum master também criar canais e mecanismos de comunicação que simplifiquem a interação da equipe e o compartilhamento de informações e conhecimentos. 

Sendo assim, podemos entender o scrum master como um facilitador.    

  • Development team: traduzindo ao pé da letra, quer dizer “equipe de desenvolvimento”. É ela que realiza o trabalho de entregar versões usáveis do produto e o produto final.

Esse time possui algumas características que merecem atenção: ele é auto-organizado e autogerenciável, além de multifuncional.  

Então, mesmo que um membro tenha especializações no currículo, ele irá agir em nome do todo dentro da equipe de desenvolvimento.  

Entendidos os papéis do scrum team, uma dúvida que pode surgir é: “mas, afinal, de que forma colocar em prática essa metodologia ágil”? É o que iremos explicar agora! 

Como funciona o Scrum na prática?

A primeira reunião de Scrum é chamada de sprint planning, que equivale ao planejamento do primeiro ciclo do projeto.  

Nesse encontro, é criado o blacklog da sprint, ou seja, o conjunto de funcionalidades e características selecionadas do blacklog do produto que deve ser entregue ao fim do ciclo. 

Além dessa primeira reunião, todos os dias é realizado o daily Scrum. Trata-se de um encontro de alinhamento em que o time relata o que foi feito no dia anterior e planeja o que será realizado no dia corrente.

Além disso, a equipe menciona elementos e situações que podem dificultar ou impedir a realização do que estava planejado para o dia. 

Feito esse levantamento, o Scrum master entra em cena com o intuito de resolver os riscos apontados pela equipe e mantê-la operante a fim de atingir o objetivo previsto para o ciclo. 

A seguir, vamos falar do Smart que, assim como o Scrum, destaca-se no universo das metodologias ágeis. 

Smart

Em se tratando de gestão de negócio, transformar qualquer intenção em meta alcançável é um desafio. E a metodologia Smart facilita essa transição. 

O porquê disso pode ser explicado pela própria formação da palavra Smart no contexto das metodologias ágeis que estamos abordando neste artigo. 

As cinco palavras cujas iniciais são aproveitadas para compor o termo Smart são:

  • Specific (específico);
  • Measurable (mensurável);
  • Attainable (atingível);
  • Relevant (relevante);
  • Timely (temporal).

Então, ao traçar metas para sua empresa, lembre-se de que elas devem respeitar essas cinco regras simultaneamente. Isso fará com que seus objetivos sejam alcançados com mais facilidade. 

Vamos conhecer cada uma dessas normas?

Specific (S)

Quando pensamos nessa característica da metodologia Smart, devemos considerar que, ao estabelecer um objetivo para sua empresa, ele deve ser bem direto, e não abstrato

Por exemplo, em vez de determinar apenas que deve haver um aumento nas vendas, podemos pensar em aumentar as vendas em 8% nos próximos três meses. 

Vale lembrar que, como em todas as etapas do Smart, a determinação de um objetivo específico se dá a partir de algumas perguntas que devem ser feitas para saber verdadeiramente aonde se deseja chegar. 

Alguns questionamentos que podem ser feitos são:

  • O que se pretende realizar com a concretização da meta;
  • Por que essa meta é importante;
  • Quais serão os responsáveis pela meta;
  • Que ações estão envolvidas na meta;
  • De que maneira a meta será alcançada. 

Possíveis respostas a essas perguntas são:

  • Redução de 15% dos gastos com copos descartáveis;
  • Para equilibrar o caixa da empresa;
  • Todos os colaboradores;
  • Campanha interna para conscientização de toda a equipe;
  • Cada gestor irá apresentar ao respectivo time a importância de economizar, mostrando dados da gestão financeira

Measurable (M)

Quando se pensa em metodologias ágeis, mais precisamente na Smart, estabelecer uma meta mensurável significa ter a possibilidade de acompanhar o seu atingimento, ainda que gradativo, e enxergar quando ela foi alcançada integralmente. 

Um exemplo prático e simples de meta mensurável pode ser observado quando se determina aumentar as vendas de uma empresa em um período de seis meses.

Para acompanhar se de fato houve esse aumento, é só consultar os registros das operações financeiras do negócio na etapa estipulada. 

Attainable (A)

Ao mesmo tempo que as metas estabelecidas para sua empresa devem desafiar a equipe, elas precisam ser atingíveis. 

Não adianta querer que sua marca, do dia para a noite, seja mais famosa que o Instagram ou supere as vendas do McDonald’s.

Para alcançar metas atingíveis, é indispensável olhar para dentro da empresa, observando os pontos fortes e fracos da equipe e das operações que acontecem diariamente. 

Assim, é possível elencar melhorias viáveis, e não se desgastar com estratégias que servem para outras empresas, mas não para a sua. 

Relevant (R)

No contexto das metodologias ágeis, ao se traçar uma meta usando o Smart, é imprescindível pensar na relevância dela para cada envolvido em seu atingimento. 

Além disso, ela deve ser relevante para o processo a ser enfrentado até alcançá-la e também, obviamente, para o resultado final esperado. 

Então, não adianta estabelecer objetivos fáceis de serem resolvidos; eles precisam desafiar o time a fim de que ele sinta o resultado conquistado como efetivamente relevante. 

Timely (T)

Toda meta, para ser atingida, precisa ter um prazo-limite. Esse elemento é essencial ao se traçar um objetivo. 

Sem ele, a equipe tende a se dispersar e, como consequência, procrastinar o projeto. 

Um exemplo simples desse aspecto da metodologia Smart pode ser entendido em uma situação do nosso dia a dia. 

Imagine que você precise ler um livro para fazer uma prova. Em vez de dar andamento à leitura aleatoriamente, verifique a quantidade de páginas e divida esse valor pelo número de dias disponíveis até a avaliação. 

Assim é possível prever e estabelecer o prazo para o atingimento da meta

Dando seguimento à abordagem das principais metodologias ágeis usadas na atualidade, vamos falar da Kanban. 

Kanban

Das metodologias ágeis mais simples e mais utilizadas hoje em dia, podemos destacar a Kanban. 

Ela é composta basicamente de checklists que dão uma visão panorâmica e detalhada do projeto que está em desenvolvimento. 

Por ser descomplicada, ela é aplicável a negócios das mais diversas naturezas e tem como objetivo primordial organizar processos de forma visual.

Para isso, ao aplicá-la, é preciso criar um quadro e dividi-lo da seguinte maneira:

  • To do – aqui devem constar as atividades que precisam ser realizadas;
  • Doing – nesta parte ficam as tarefas que estão em andamento;
  • Done – neste tópico, concentram-se os trabalhos já concluídos, avaliados e aproveitados pelo time. 

É indispensável monitorar a lista de atividades para o método funcionar efetivamente. Para tal, todos os membros participantes devem atualizar o status de suas tarefas constantemente. 

Vale lembrar que, ao visualizar o andamento do projeto, é possível prever e evitar gargalos e atrasos no projeto. 

Outro método de destaque dentre as metodologias ágeis é o Lean. A seguir iremos falar mais sobre ele. 

Lean

Esse método foi popularizado no cenário das startups é recomendado para projetos menores e mais objetivos.

O objetivo central desse método, que pertence ao universo das metodologias ágeis, é eliminar efetivamente desperdícios em uma organização ou na realização de alguma operação.   

Ao utilizar essa metodologia no desenvolvimento de algum produto ou serviço, é essencial que apenas os recursos necessários sejam utilizados. Isso irá reduzir os desperdícios em todas as etapas do projeto. 

Além do mais, o Lean propõe uma melhoria contínua dos processos, através de tecnologias novas, por exemplo, o que implica uma desobediência a regras rígidas que muitas vezes oneram e atrasam um projeto. 

Analisadas essas quatro metodologias ágeis, qual se enquadra melhor às necessidades da sua empresa?

Ao longo desse artigo, pudemos perceber que as metodologias ágeis não são restritas à área de TI, elas podem ser aplicadas em diversos setores profissionais e também na esfera pessoal. 

Então, para gerir melhor sua agenda e as operações do seu negócio, além de se inteirar das metodologias ágeis citadas neste artigo, confira nosso conteúdo especial sobre ferramentas de gestão, clicando aqui.  

Robson Lins

Bacharel em Administração pela Universidade Federal de Campina Grande, CMO na AM3 Soluções, apaixonado por cinema, música e tecnologia.

Deixe uma Resposta